Mudanças climáticas ameaçam a pesca em escala mundial

5
606
views

Mudanças climáticas ameaçam a pesca em escala mundial

Potenciais mudanças na frequência e intensidade das tempestades em todo o mundo podem ter “impacto catastrófico” no sustento dos pescadores e na sustentabilidade das indústrias pesqueiras. Foi o que mostrou a pesquisa liderada pela Universidade de Exeter. A pesquisa confirma que as mudanças climáticas ameaçam a pesca. Matéria do site phys.org.

imagem de tempestade no mar para ilustrar Mudanças climáticas ameaçam a pesca
Mudanças climáticas ameaçam a pesca. Foto: www.tonyfitzsimmons.com/emily_rose

A pesquisa

“Baseada em revisão de estudos anteriores, e exame de projeções futuras, adverte que o aumento das tempestades pode tornar a pesca mais perigosa. Além de deslocar peixes de seus habitats naturais e interferir na capacidade de criação dos peixes. Espera-se que as tempestades na costa do Reino Unido se tornem mais frequentes e intensas nos próximos dois séculos. E esperem tempestades mais dramáticas no Mar do Norte e no Atlântico Norte, a oeste do Reino Unido, Irlanda e França, ameaçando o futuro dos pescadores e os peixes que eles pegam.”

Mudanças climáticas ameaçam a pesca em escala mundial

O documento,’Changing Storminess and Global Capture Fisheries‘ (‘Mudança da Tormenta e Captura Global de Pesca‘), publicado na revista Nature Climate Change, diz que “projeções detalhadas e estímulos são urgentemente necessários para prever com mais precisão onde as tempestades acontecerão no futuro. E assim apoiar comunidades pesqueiras a se adaptarem a este elemento climático. A equipe de especialistas da Universidade de Exeter, Met Office, da Universidade de Bristol e da Willis Research Network, pede que a pesquisa se concentre fortemente no aumento da frequência e intensidade das tempestades como prioridade.”

Preocupação dos autores

O autor principal, Nigel Sainsbury, da Universidade de Exeter, disse:

As tempestades são uma ameaça à segurança, produtividade, bens e empregos dos pescadores e à saúde de bilhões de pessoas em todo o mundo que dependem dos peixes para sua alimentação diária. A mudança de tempestades pode ter sérias conseqüências para as comunidades costeiras vulneráveis ​​em todo o mundo. A realização de pesquisas nessa área é fundamental para apoiar a adaptação da pesca à mudança climática.

As tempestades

“Não só representam uma ameaça para a segurança dos pescadores no mar, ou as mantêm no porto. Mas também matam os peixes e destroem os seus habitats, afetando o sustento dos pescadores que dependem deles.”

No Reino Unido

“A indústria pesqueira contribui com 1,4 bilhão de libras para a economia do Reino Unido e é uma fonte importante de empregos para as comunidades costeiras da Cornualha às Ilhas ShetlandSteve Simpson, biólogo marinho da Universidade de Exeter e co-autor do estudo, alertou:

Nossas pesquisas anteriores mostraram como o aquecimento dos mares modifica gradualmente a composição da pesca por mudanças na distribuição. Mas as tempestades podem mudar radicalmente as populações de peixes através do deslocamento temporário ou permanente, e podem interromper a dispersão das larvas de peixes e danificar ou destruir o habitat essencial de que os peixes dependem.

Pesca no mundo

“A pesca e a piscicultura apoiam 12% da população mundial e 38 milhões de pescadores e mulheres. Os peixes fornecem cerca de 20% de sua proteína animal para 3,1 bilhões de pessoas. São confiáveis ​​para micronutrientes, vitais para a saúde das crianças e das mulheres grávidas. O co-autor Geoffrey Saville, da Willis Research Network, disse:

A pesquisa é necessária para identificar e avaliar maneiras pelas quais a pesca pode se adaptar à mudança de tempestades. Uma possibilidade que acreditamos vale a pena investigar é a adoção de mecanismos financeiros que já estão sendo usados para ajudar os agricultores a se recuperar da seca.

Os pesquisadores pedem um foco mais aguçado nos impactos de tempestades que têm “o potencial de causar impactos mais imediatos e catastróficos” do que o aquecimento dos oceanos.

Foto de abertura: www.tonyfitzsimmons.com/emily_rose.

Fonte:https://phys.org/news/2018-06-storms-catastrophic-impact-fishing-industry.html.

Agrotóxicos: ‘Projeto Veneno passa na Câmara!

COMPARTILHAR

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

5 COMENTÁRIOS

  1. Que bom! Até que enfim uma notícia boa! Falta agora parar de derrubar florestas para criar gado, Isso contribuirá muito com a redução do aquecimento global! Parar de fabricar 75% (média) dos antibióticos do mundo, para alimentar os animais que serão assassinados, Parar, enfim, de derrubar florestas, poluir solos, rios e contribuir com doenças do coração e câncer para deixar de produzir 70% dos grãos do mundo que hoje são utilizados para alimentar os 50.000.000.000 (bilhões) de animais, todos os anos, que são assassinados para virarem “cocô” de poucos… Pelo jeito, continuaremos a aprender da pior maneira….

  2. Assisti a um “documentário” sobre pesca no hemisfério norte onde em dado momento o narrador diz que no início do sáculo XX ou pouco antes era possível ir da Europa aos EUA “caminhando” sobre os bacalhaus; na mesma matéria falaram sobre um tipo de pescado que era transformado em fertilizantes. Hoje temos plataformas petrolíferas que devem lançar todos os tipos de poluição nas águas (empresas dirão que não e que recolhem e transportam até os dejetos humanos para serem tratados em terra), navios cargueiros equivalentes a três ou quatro campos de futebol, navios de cruzeiros, navios de piratas, navios militares, submarinos e outras milhares de embarcações que “ajudam” na transformação dos mares em gigantescos lixões e arquipélagos de plásticos.
    Talvez eu seja dramático mas as tempestades serão os menores dos problemas e quiçá elas ajudem a “democratizar” os lixos e talvez limpar os raríssimos nascedouros das espécies. De quê adianta combater a caça as baleias se seguramente centenas delas são simplesmente atropeladas por toda sorte de embarcações e os ruídos produzidos por máquinas as deixem desorientadas lembrando que num eco sistema não causamos danos somente para uma espécie. Talvez o futuro ensine aos homens como viver respeitando o nosso lar, Terra.

    • Caro (a) Testuo, você é o cara que gosta de carne de baleia, certo? Nada mais anacrônico que vê-lo defender o meio ambiente. Bizarro! É como ver o lenhador defender a floresta….

  3. Juarês José Aumond
    O que Felix comentou é verdade. Mas os oceanos estão ficando cada vez maiores devido ao degelo continental e aquecimento da água dos oceanos que provoca sua expansão. Resultado simultâneo é que 49% da consta brasileira já sofre erosão.
    Situação mais séria que a grande mídia registra.

  4. Nunca se pescou tanto no mundo.
    As estatísticas da pesca nos países que mais se dedicam a esta atividade só demonstram um aumento de ano para ano.
    É claro que, com o aumento populacional, o aumento de pesqueiros também seria o resultado natural.
    Como consequência, os oceanos vão se tornando menores e as áreas mais frequentemente tempestuosas passam a ser mais exigidas.
    Mas a culpa, como sempre, tem que ser debitada ao “aquecimento global”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here