Livro: A Saga do Mar Sem Fim

6
3918
views

Lançamento do livro: A Saga do Mar Sem Fim

Os que navegam neste site já sabem de minhas idas para a Antártica, e a consequência terrível da terceira viagem que fiz no verão 2011- 2012: o naufrágio do Mar Sem Fim, na ilha Rei George, depois de dias enfrentando severas condições climáticas.

É sobre isto que trata o livro A Saga do Mar Sem Fim a ser lançado quarta-feira da semana que vem, dia 5 de novembro. Desde já, estão todos convidados. Gostaria de abraçar a cada um que torceu, mandou correios encorajadores, enfim, agradecer àqueles que lutaram junto conosco mesmo que à distância.

convite-livro
Espero todos vocês quarta que vem, dia 5 de novembro, no Shopping JK.

Foi o maior evento de minha vida. Não acredito que terei outro igual, ou mesmo parecido, em emoção, dramaticidade, repercussão nacional e internacional.

A Antártica é regida por normas especiais. O continente foi dedicado à pesquisa e ao estudo segundo as normas do Tratado Antártico, assinado em Washington, 1959, para “assegurar o interesse de toda humanidade para que o continente continue utilizado sempre exclusivamente para fins pacíficos.”

Posteriormente, em 1991, foi assinado o Protocolo de Madri que trata exclusivamente das questões relativas à proteção do meio ambiente antártico.

Mais uma vez o Brasil aderiu a este acordo.

Ali todo cuidado é pouco. A Antártica, por sua peculiar posição no centro do Polo Sul geográfico, é um laboratório das ações humanas sobre o planeta. E apesar de não parecer, é um continente fragilíssimo.

Esta derradeira viagem teve como intenção um charter, ao mesmo tempo em que eu escrevia para este site, então recém inaugurado.

Como nas outras vezes, eu queria contar aos internautas a maravilha que é aquele continente, descrever  suas surpresas, contar como são as dezenas de bases científicas instaladas, o que fazem, e como agem os cientistas, as dificuldades do clima, a fauna e a flora, etc.

drake-
O Estreito de Drake.

Mas tive dificuldades sérias na travessia do Drake. Meu barco perdeu um leme, num dos sistemas, e uma bucha, no outro sistema de propulsão. O Marzão tinha dois motores, em consequência, dois sistemas de propulsão. Quando percebi os problemas soube que estava a um passo de naufragar. Não é fácil consertos desta magnitude num ambiente tão hostil, com ventos que facilmente chegam aos 150 quilômetros por hora. Mas não nos abalamos e seguimos lutando.

Assim que o tempo permitiu segui para a Ilha Rei George, única que tem uma pista de pouso, além de bases de vários países, inclusive o Brasil, que poderiam nos ajudar.

Deception-R-George-
Da ilha Deception para Rei George são 60 milhas.

Em Rei George os passageiros e o skipper desembarcaram, voltando para a América do Sul. No mesmo voo chegou meu amigo, e melhor marinheiro que conheço, Plinio Romeiro Jr.

Mesmo sabendo o tamanho da encrenca, e possibilidade real de desastre, Plínio não perdeu um minuto quando contei à ele a situação em que me encontrava.

A partir daí começou nosso calvário que só termina agora, felizmente, com a publicação do livro.

bases-R-George
Os pontos vermelhos assinalam as bases de Rei George. A do Brasil é a última à direita. A chilena, local do naufrágio, é a segunda da esquerda para a direita.

Tive bastante tempo para refletir sobre as consequências. Para começar, fui obrigado a esperar “uma gestação”, nove meses exatos, de abril de 2012 até janeiro de 2013, para seguir novamente à Antártica, desta vez para resgatar o Mar Sem Fim.

Com apoio incondicional da Marinha do Brasil, do pessoal das bases chilena, chinesa, e russa, tivemos sucesso depois de 40 dias de muito trabalho. A imensa angústia que eu passei durante este tempo, receando um acidente ecológico neste paraíso do planeta, acabou não acontecendo. O Mar Sem Fim veio à tona sem derramar “uma lágrima” de diesel. Sorte grande.

Desde o acidente uma coisa não saia de minha cabeça. Contar àqueles que se envolveram, e não foram poucos, tudo que aconteceu. Ao relatar para o site, descrevendo os últimos dias do mar Sem Fim, ou a viagem da faina de resgate, tive que passar por cima de muitos fatos. Bastidores interessantes, comportamentos humanos surpreendentes, curiosidades, dificuldades, sempre cercados por muita emoção e drama.

A volta ao Brasil

Na volta ao Brasil, em março deste ano, finalmente o cenário estava montado em minha cabeça. As circusntâncias, os erros, as omissões, o acaso… Estava tudo lá. De tanto pensar, e até sonhar com as viagens e o acidente, as peças se juntaram. Era hora sentar e colocar no papel.

No livro a Saga do Mar Sem Fim conto minha história com o mar desde meus primeiros anos, quando ainda brincava com barquinhos na piscina da fazenda. As pescarias com meu pai e meus irmãos em Cananéia. A primeira saída em mar aberto, depois a viagem de veleiro pela costa brasileira e, finalmente, as quatro viagens à Antártica.

Não sobrou um detalhe de fora. Assumi a responsabilidade e lutei o que pude para evitar o perigo que seria o desastre ecológico. E aprendi a maior de todas as lições que um homem do mar pode aprender. É isto que quero dividir, a partir da semana que vem, com todos que frequentam este site. Até lá.

Assista o trecho mais importante do resgate:

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

6 COMENTÁRIOS

  1. Sensacional, viajo nessas histórias!!! Sempre quis velejar, ter um veleiro e vendo sua aventura maravilhosa sinto uma certa frustração e admiração por quem faz.
    Parabéns!!

    • Muito obrigado, José Rico, fico feliz de saber que pessoas como você lerão ao menos uma parte de minhas navegadas. Se quiser apareça hoje no lançamento. Será no Shopping FK, no terceiro andar, no Lounge. terei prazer em autografar um exemplar para você.
      Abraços,até breve!

  2. João .
    bom dia.
    sou um admirador de seus trabalho,e penso que pessoas como você que desenvolve esta atividade em prol da natureza, e da sobrevivência da humanidade nunca pode ser esquecido. Meus parabéns.

  3. material de grande importancia para todos que querem adquirir conhecimento e admirar lindas paisagens e tendo o prazer de conhecer um pouco da vida animal aquatica maritima, nao só na nossa costa como em todos os oceanos do planeta.

    • Oi, Alexandre, bem-vindo a bordo do mar sem fim! É isto mesmo. Espero que o livro ajude a mostrar um pouquinho das belezas e riquezas da Antártica. Há uma seção com belas fotos. Espero que vc goste. Apareça no lançamento. Será um prazer receber os amigos virtuais. Abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here