APA da Barra do Rio Mamanguape

0
1250
views

APA da Barra do Rio Mamanguape

Pioneira, a APA da Barra do Rio Mamanguape, base do Projeto Peixe-Boi, foi estabelecida  em 1980. Cinco anos depois foi decretada a ARIE do Mamanguape, para proteger os 5.700 hectares de mangue, habitat do Peixe-boi. As duas UCs procuram garantir a integridade de variados ecossistemas que se misturam nesse pequeno espaço, entre praias, mata atlântica, restinga, lagoas de praia, estuário, recifes de arenito e falésias.

Assista ao documentário

Bioma: Marinho Costeiro

Área: 14.640 hectares

PUBLICIDADE

Criação: 10 de setembro de 1993

Localização: Rio Tinto e Lucena, Baia da Traição, e Marcação, Paraíba

Tipo: Uso Sustentável

Plano de Manejo: A APA tem plano de manejo desde 2014

imagem de peixe-boi na APA da Barra do Rio Mamanguape
Peixe-boi

APA e ARIE do Mamanguape: transferência do Projeto Peixe-Boi

Na década de 80 o governo da Paraíba não se interessou em investir no projeto que precisava urgentes reformas e compra de terras para ampliação.

No mesmo momento Pernambuco ofereceu os recursos. Desde então a sede foi transferida para a ilha de Itamaracá, onde está até hoje.

A última reintrodução de peixes-boi, em Mamanguape, aconteceu em 2012.

Ainda assim, para verem estes simpáticos e dóceis mamíferos marinhos soltos no estuário, todos os anos Mamanguape recebe cerca de dois mil turistas.

Eis aí mais uma oportunidade perdida.

O turismo de observação, se bem explorado, gera milhões de dólares mundo afora, empregos e renda, por turistas enfastiados com o dia-a-dia das grandes cidades, encantados com a possibilidade de se aproximar dos poucos seres marinhos que aceitam sua presença, normalmente os mamíferos.

O Brasil poderia, com a beleza de seu litoral e, especialmente, a pobreza secular dos nativos, aproveitar esta oportunidade como fazem países tão próximos como a Argentina, para onde vão todos os anos mais de 150 mil turistas pagando, consumindo, gerando renda e emprego, simplesmente para observar baleias (península Valdés).

» Expedição à ÁPA de Mamanguape, leia mais sobre a nossa visita.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here