Alcatrazes sai do limbo, saiba por que

9
153
views

Alcatrazes sai do limbo: mais de 20 anos de luta para finalmente torna-la uma Unidade de Conservação federal marinha

A boa notícia chegou há pouco. Alcatrazes sai do limbo. Nesta semana, quinta, ou sexta, dias 7 ou 8 de julho, terá chegado ao fim o primeiro round da luta que envolveu a sociedade paulista, os ambientalistas, o pessoal da náutica, além das prefeituras de São Sebastião e Ilhabela. Nesta semana o presidente da República Michel Temer deve assinar os decretos de ampliação do Parna da Chapada dos Viadeiros, e do Refúgio de Vida Silvestre de Alcatrazes.

Alcatrazes sai do limbo, imagem de alcatrazes e veleiros
Alcatrazes sai do limbo

Alcatrazes sai do limbo

A informação é de fonte segura: Zé Pedro de Oliveira Costa, o Secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA.

Revis ou Parque Nacional de Alcatrazes?

A luta da sociedade foi pela criação do Parque Nacional Marinho de Alcatrazes. Na opinião da maioria, esta seria a categoria ideal para Alcatrazes que, se fosse atendida, matava dois coelhos com uma só tacada: transformar Alcatrazes em Unidade de Conservação e, ao mesmo tempo, criar o primeiro Parque Nacional Marinho do Sudeste.

Porque Revis e não Parque Nacional Marinho

O bagunça começou lá atrás, há muito tempo. Aconteceu quando um funcionário forte do MMA, com fama de caprichoso, na época diretor de criação e Manejo de Unidades de Conservação, Sérgio Brant, decidiu que uma Revis seria melhor que o almejado Parque Nacional. E fez todo o demorado, e caro projeto, nesta direção. Depois de desagradar meio mundo, Sérgio foi realocado no ICMBio. Mas seu projeto ficou na gaveta.

Alcatrazes sai do limbo, imagem da ilha-do-Farol-alcatrazes
Ilha do Farol, Alcatrazes sai do limbo

Nova direção no ICMBio

Desde que Temer assumiu, os cargos de chefia das estatais também formam mudados. Hoje quem comanda o ICMBio é Rômulo Mello que, pela segunda vez preside o órgão. Os secretários, pessoas chave na equipe do ICMBio, também mudaram. Daí a volta de Zé Pedro para  à secretaria de Florestas. De acordo com ele, o novo, Ministro Zéquinha Sarney, quer apressar a volta à criação de UCs. Elas ficaram paradas durante o infeliz período Dilma Roussef. E o projeto de Revis já estava completamente acabado. Se fossem mudar, novo e demorado processo de criação de uma UC, envolvendo o que mais falta ao Planalto, dinheiro, seria obrigatório. Optaram por aprovar a Revis. Assim como Parque Nacional, prevê a visitação pública que é o que todos queriam.

Capricho de Sérgio Brant impediu a criação do Parque Nacional Marinho de Alcatrazes.

Foi uma pena o capricho de Sérgio Brant. No passado, enquando se discutiam as possibilidades, todos concordaram com a criação do Parna. Até o governador do estado, a Marinha do Brasil, e  o pessoal do ICMBio. A polêmica é relatada em detalhes por este site.

Se o projeto for de fato assinado esta semana já será uma vitória. O mais bonito arquipélago do litoral do Brasil, um dos mais ricos em biodiversidade, finalmente passará a merecer o respeito, a proteção, e o conhecimento público.

Alcatrazes sai do limbo, imagem de albatroz-com-bucho em voo
Alcatrazes sai do limbo

A luta pelo Parque Nacional continua

E não sejamos ingênuos. Enquanto proclamam a Revis dos Alcatrazes, a luta por sua recategorização para Parque começará no mesmo instante. O importante agora é dar crédito às boas intenções das novas gestões.

Alcatrazes sai do limbo, imagem da ilha de alcatrazes, são paulo
Alcatrazes sai do limbo

Revis não é a melhor decisão

Mas é um claro sinal à sociedade que o meio ambiente passa de novo a contar com aliados. Desta vez dentro do novo governo.

Prefeito de Ilhabela quer torna-la Ilhafeia

COMPARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Péssima notícia, evidencia que as manobras do Sérgio Brant prosperaram. A matéria do Sr. João Lara Mesquita é também um grande equívoco. O Refúgio de Vida Silvestre não prevê visitação pública. Isso somente ocorrerá se estiver previsto no Decreto de Criação, e como o projeto já estava pronto e elaborado pelo Brant, duvido que contemple visitação. Que fique claro na cabeça de todos na categoria PARQUE a visitação é obrigatória, na categoria REFÚGIO é facultativa, ou seja, tem de estar prevista no Decreto de Criação. Portanto Alcatrazes continuará onde sempre esteve, no limbo, e entregue aos contraventores.

    • Olá, Andreoli, bem- vindo a bordo do mar sem fim. Minha matéria não é um equívoco, ao contrário. Ele conta em detalhes como começou a batalha pela criação do Parna. Conta que esta categoria chegou a ser aprovada até mesmo pela Marinha do Brasil, Governador do Estado, Prefeito de São Sebastião, e Ilhabela (http://marsemfim.com.br/alcatrazes-icmbio-e-ministerio-do-meio-ambiente/). Contei que, por capricho, contra tudo e todos, Sérgio Brant levou o processo de Revis atée terminá-lo. Está tudo pronto. Refazer o projeto custaria um bocado de tempo e dinheiro, o que atrasaria o processo. Por isso, menos de 60 dias depois de assumirem, têm a coragem de anunciarem a ampliação uma UC terrestre, e criação de uma UC mais completa no bioma marinho, UC que já enfrentou brigas terríveis para ser liberada para o uso civil, o que finalmente acontece. É um modo que o Ministro e seu primeiro escalão mostrarem suas credenciais ao público, retomando uma agenda semimorta pelo defunto governo.
      Nas matérias ainda reforcei que no dia que ela se transformar em Revis, começa o segundo round da luta, para recategoriza-la como Parna.
      Em vez de perdermos tempo com picuínhas menores entre nós, sugiro unir forças na batalha que se avizinha.
      abraΩços

      • Caro João, estamos todos juntos nesta luta, eu como membro do conselho consultivo, você com o excelente trabalho do Mar Sem Fim, o Fausto Pires, o Júlio Cardoso, o Truda, e o pessoal da ESEC, talvez eu tenha me expressado mal, o que eu quis dizer com equívoco na sua matéria foi apenas referente a diferença entre a visitação num PARQUE que é o principal objetivo desta categoria e numa Revis que embora permita, pode não ser contemplada o que frustaria a maioria dos que lutaram por esta causa desde as primeiras provocações por iniciativa do Fausto Pires de Campos. Desculpe se não me fiz entender. Saudações.

    • Caro Andreoli: vc parece ser bastante insistente. É o terceiro ou quarto correio que envia, sempre com o mesmo discurso. A mim só cabe reafirme o que que está dito na matéria: de acordo conformações de dentro do ICMBio, a Revis Alcatrazes sai com direito à visitação pública.abs

    • É isso, Althayr, mesmo não saindo o Parque nacional, como todos queríamos, já é um passo grande se sair esta semana, conforme informação que recebi, a Revis. A partir disso, a luta recomeça pela recategorização de Alcatrazes. abraços

  2. Acompanho essa luta por Alcatrazes desde quando o Fausto Pires de Campos(padrinho de meu casamento) deu o chute inicial no sentido de preservação do arquipélago. O que me surpreende ate hoje, é que, efetivamente ninguém conseguiu banir a pesca profissional e a dita, pesca esportiva, praticada quase que livremente na área protegida. Falo isso com conhecimento de causa e me admiro muito que não consigam banir esta atividade proibida ali. Lojas de pesca organizam pescarias em Alcatrazes, existem varias lanchas e barcos que operam esse turismo saindo de Bertioga e Guarujá e mesmo assim, nada se faz. Eu creio que a permissão para visitação pública e mergulho no Arquipélago, só contribuirá, ainda mais, para atiçar os predadores de plantão. Saudações! Flávio

    • Oi, Flávio, bem – vindo a bordo do mar sem fim. Seu padrinho, o Fausto, não vai ficar nem um pouco feliz pela decretação da Revis. Ele, que como vc disse, foi um dos primeiros a iniciar a luta pela transformação em Parque Nacional, já adiantou seu inconformismo pela Revis.Todos preferíamos o Parque, mas agora temos que nos contentar com a Revis. Com este país falido, a burocracia parada, seria difícil sair o Parna neste momento. Quanto ao problema que vc levanta, das pescarias irregulares, iso é a norma em todas as UCs do país. Elas simplesmente não tem efetivos para a fiscalização. Acabei de fazer uma série de documentário sobre as UCs do litoral. Estão todas no mesmo patamar. Isso só vai mudar na hora em que os governos fizerem parcerias com a iniciativa privada,não há outra solução. O governo tem que se preocupar com saúde, saneamento, educação, e olhe lá. A propósito, escrevi um artigo com o Truda obre isso. Veja neste link: http://marsemfim.com.br/agenda-ambiental-para-o-desenvolvimento/.
      Abraços
      Bom, amigo, obrigado pela mensagem, abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here