Triângulo das Bermudas: pesadelo de navegadores. Sim, ou não?

0
257
views

Triângulo das Bermudas, pesadelo de navegadores: falso ou verdadeiro?

Triângulo das Bermudas: as medidas nós tiramos do wikipedia: “é uma área que varia de 1,1 milhão de km² até 3,95 milhões de km².  Ela fica no Oceano Atlântico entre as ilhas Bermudas, Porto Rico, Fort Lauderdale na Flórida e as Bahamas. A região notabilizou-se como palco de diversos desaparecimentos de aviões, barcos de passeio e navios, para os quais se popularizaram explicações extrafísicas e/ou sobrenaturais”.

Triângulo das Bermudas, mapa do Triângulo das Bermudas

Triângulo das Bermudas: os acidentes

Do mundoestranho tiramos a estatística dos acidentes: “mais de 100 navios e aviões desapareceram, desde o final da Segunda Guerra, entre o arquipélago das Bermudas, o estado da Flórida, nos Estados Unidos, e a cidade de San Juan, em Porto Rico”.

Outras fontes pesquisadas falam em 50 navios e 20 aviões no mesmo período.

A fama do Triângulo das Bermudas: desde 1945

Ainda do mundoestranho: “a fama do Triângulo das Bermudas como cenário de fenômenos inexplicáveis cresceu a partir de dezembro de 1945, quando cinco aviões da Marinha americana sumiram sem deixar vestígios”.

“Cinco bombardeiros Torpedo, da Marinha americana, decolam de Fort Lauderdale, e desaparecem com 14 tripulantes a bordo. O incidente do chamado Vôo 19 (seu número de controle no tráfego aéreo) tornou a região mundialmente famosa como local de sumiços misteriosos”.

O que se fala sobre o Triângulo das Bermudas

Um monte de bobagens que vão de extraterrestres à resíduos de cristais da Atlântida. Passando por humanos com armas terríveis, e vórtices da quarta dimensão. Menos fantasiosos, a corrente do golfo, e variações no campo magnético.

Triângulo das Bermudas, ilustração de mapa mostrando a corrente do golfo

Acidentes no Triângulo das Bermudas hipóteses que caíaram

A mais famosa é a que fala no campo magnético. Mas ela dançou segundo o site fatosdesconhecidos.com.br: “uma série de teorias foram investigadas, como a que alegava que toda a questão estava relacionada ao alto grau de magnetismo que existia naquele lugar. Nenhuma delas jamais foi comprovada”.

Livros sobre o Triângulo das Bermudas

Existem diversos. Dois merecem destaque. Publicado em 1974, citado pelo mundoestranho o livro “o Triângulo das Bermudas, do escritor americano Charles Berlitz, vendeu 20 milhões de exemplares levantando hipóteses como a de que naves alienígenas teriam seqüestrado as embarcações desaparecidas no local”.

Outro, citado pelo mesmo site é o  “The Bermuda Triangle Mystery – Solved (“O Mistério do Triângulo das Bermudas – Solucionado”, inédito no Brasil), do ex-piloto americano Larry Kusche. O autor mostra um trabalho de meses de investigações sobre vários incidentes e conclui que os aviões desaparecidos em 1945 caíram no mar por causa da simples falta de combustível.

E agora, as histórias sobre o local são falsas, ou verdadeiras?

Triângulo das Bermudas: considerações sobre a região

Pesquisamos em sites da academia norte- americana. Eles confirmam, quase letra por letra, os fatos acima narrados. Mas também divulgam explicações científicas. Um dos mais renomados, o site da NOAA, joga por terra muitas das fantasias…

“As considerações ambientais poderiam explicar muitos, se não a maioria, dos desaparecimentos. As tempestades tropicais atlânticas, e furacões, passam através do Triângulo das Bermudas”. Para a NOAA, estes fenômenos levaram muitos navios.

Sobre a Corrente do Golfo, o site da NOAA diz: “ela pode provocar rápidas, e violentas mudanças do clima”. “Além disso”, prossegue, “o grande número de ilhas no Mar do Caribe cria muitas áreas de águas rasas que podem ser traiçoeiras para navegação”.

A Marinha e Guarda Costeira dos USA X o Triângulo das Bermudas

Continuando a desmistificação, o site da NOAA explica: “a Marinha e a Guarda Costeira afirmam que não há explicações sobrenaturais para desastres no mar. Sua experiência sugere que a força da natureza combinada com a falibilidade humana superam qualquer ficção científica. “Eles acrescentam que não existe um mapa oficial  que delineie os limites do Triângulo das Bermudas. E o  U. S. Board of Geographic Names  não reconhece o Triângulo das Bermudas como um nome oficial e não mantém arquivo oficial sobre a área”.

(o artigo foi publicado em 2010)

Duas novidades também podem explicar os acidentes

Você sabia que o oceano peida? Não! Isso não é coisa do Mar Sem Fim. É a NOAA quem diz, e abre uma porta para outra das possibilidades científicas que justificariam o grande número de acidentes:

“Algumas explicações (para os acidentes) são mais fundamentadas na ciência, se não em provas. Elas  incluem a flatulência oceânica ( erupção de gás metano de sedimentos do oceano), e interrupções nas linhas de fluxo geomagnético”.

Matéria recente da BBC, já mencionada neste site, confirma a hipótese. Ela conta sobre a façanha da China que conseguiu extrair grande quantidade de hidrato de metano, possível combustível do futuro, do fundo do oceano. E explica o que é este composto: ” o hidrato de metano  é uma mistura gelada de água e gás encontrada em sedimentos do fundo do mar”. E prossegue: “o gás encapsulado dentro do gelo torna os hidratos inflamáveis, mesmo a baixíssimas temperaturas”.

O Mar Sem Fim quis saber mais sobre o hidrato de metano

Então pesquisamos no site sinergiaengenharia.com.br que esclareceu:” é um composto altamente energético, já que um litro desta composição corresponde, em condições normais de temperatura e pressão, a 168 litros de gás metano”.

O que quer dizer isso? O sinergiaengenharia responde: “as bolhas de metano também podem ser liberadas na atmosfera, e a faísca de um motor de um avião pode ser suficiente para causar uma tragédia”.

Triângulo das Bermudas, ilustração de avião em chamas caindo
Ilustração: history.com

E o que isso tem a ver com o Triângulo das Bermudas? O sinergiaengeharia respondeu:

“Pesquisadores encontraram enormes reservas deste gás na região do triângulo de Bermudas e isso pode ser uma justificativa para o sumiço inexplicado dos aviões e navios, visto que o hidrato de metano possui densidade menor que água, de 0,9 g/cm3, fazendo assim com que os navios percam sustentação e afundem”.

Triângulo das Bermudas, ilustração de veleiro afundando no triângulo das bermudas
Ilustração: www.express.co.uk

Identificamos três causas possíveis para os desastres no Triângulo das Bermudas

Se entendemos bem, até agora são três as hipóteses: tempestades e furacões anabolizados pela Corrente do Golfo; a geografia local, com muitas ilhas e espaços mais rasos; e o ‘peido do oceano’, ou ‘flatulência oceânica’, como prefere a NOAA, que sobe como uma enorme bolha e libera hidrato de metano que, conforme o siernergiaengenharia, “ao entrar em contato com a atmosfera, a faísca de um motor de um avião (e acrescentamos, de um barco) pode ser suficiente para causar uma tragédia”. Esta hipótese é compartilhada pelo express.co.uk.

A quarta e última hipótese científica

Outro site inglês traz a quarta hipótese:  o dailymail.co.uk. Segundo ele, “no Triângulo das Bermudas nuvens hexagonais criam terríveis bombas de ar que podem chegar até 270 Km por hora”.

“O ar explode como uma bomba criando ondas de até 15 metros”.

Cientistas estão intrigados com estas nuvem que ‘criam figuras geométricas regulares”.

Triângulo das Bermudas, imagem de nuvem hexagonal
As nuvens hexagonais. Foto: dailymail.co.uk

Segundo o dailymail, pesquisadores detectaram massivas nuvens sobre o lado oeste das ilhas Bermudas. O  Dr. Steve Miller, meteorologista da Colorado State University declarou:

Não se vê tipicamente estas nuvens com bordas retas…na maioria da vezes a formação e distribuição é aleatória.

Outro jornal inglês, The Mirror, também cita o caso das nuvens. E acrescenta que  o meteorologista Randy Cerveny declarou:

Este tipo de nuvem hexagonal sobre os oceanos são uma verdadeira bomba de ar

Assista o vídeo do Mirror

E você, o que acha do Triângulo das Bermudas? Falso, ou verdadeiro? Mande sua opinião.

A Lua e os Oceanos, entenda o fenômeno

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here