São Félix do Xingu, o campeão das emissões no Brasil

0
5175
views

São Félix do Xingu, o campeão das emissões no Brasil

Estudo inédito publicado pelo Observatório do Clima mostra fatos absolutamente inesperados, como o campeão nacional das emissões de gases de efeito estufa. Em vez de São Paulo, com sua imensa frota de automóveis, fábricas, e 12 milhões de habitantes, o campeão nacional é o município de São Félix do Xingu, no Pará. Para chegar a esta conclusão o Observatório do Clima analisou emissões individuais acumuladas de 2000 até 2018 nos 5.570 municípios do País.

Imagem de São Félix do Xingu
São Félix do Xingu a campeã em emissões. Imagem, Wikipedia.

São Félix do Xingu, o campeão das emissões no Brasil

O município localizado a 1050 km da capital, Belém, tem uma área de 84.213 km² ocupada, em 2018, por 128 mil habitantes. Como, então, seria o campeão das emissões no Brasil, deixando São Paulo com apenas o quarto lugar?

A explicação está na economia. São Félix do Xingu não tem as fábricas de São Paulo, muito menos a frota de automóveis, em compensação  tem o maior rebanho bovino do País. A base da economia é a pecuária de corte, e o rebanho atingia 2,5 milhões de cabeças em 2019. Segundo matéria da Deutsche Welle ‘os dados foram contabilizados na última vacinação pelo Sindicato dos Produtores Rurais’.

Imagem de rebanho bovino em São Félix do Xingu
Imagem, Deutsche Welle.

Esta não foi a única descoberta do estudo do Observatório do Clima. Através dele ficamos sabendo que das 10 cidades que mais contribuem para a poluição do clima, 7 estão na Amazônia.

Já se sabia que a maior contribuição do Brasil para as emissões vem do desmatamento, mas o que era desconhecido era a posição de cada município no total das emissões. Em 2018, São Félix do Xingu emitiu um total de 29,7 milhões de toneladas equivalentes de dióxido de carbono. Se fosse um país, estaria na frente de Uruguai, Chile, Costa Rica ou Noruega.

PUBLICIDADE

Monitoramento do Inpe

O monitoramento anual feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostra que em 2019 São Félix do Xingu foi responsável por um terço do desmatamento em toda a Amazônia. O dado é confirmado também por Carlos Cruz da Silva, em matéria da Deutsche Welle, à frente do Ministério Público Estadual na cidade:  “O desmatamento irregular é, sem dúvida, a principal ação criminal com que nos deparamos aqui em São Félix do Xingu.

Segundo o estudo, as emissões em São Félix do Xingu são oriundas do desmatamento, seguido  pela agropecuária. É preciso lembrar que durante a digestão o rebanho lança na atmosfera o gás metano, ainda mais potente que o CO2.

Os campeões das emissões no Brasil

Pela ordem, os dez municípios que mais emitem são: São Félix do Xingu (PA), Altamira (PA), Porto Velho (RO), São Paulo (SP), Pacajá (PA), Colniza (MT), Lábrea (AM) e Novo Repartimento (PA), Rio de Janeiro (RJ) e Serra (ES). Juntos estes municípios emitem 172 milhões de toneladas brutas de CO2 equivalente.

Assim como em São Félix do Xingu, o principal fator para as emissões são o desmatamento, e a agropecuária. O Jornal Valor Econômico calculou que ‘as emissões per capita de quem mora no município paraense são 22 vezes maiores do que a média das emissões per capita dos brasileiros, e 12 vezes mais do que a de quem vive nos Estados Unidos’.

Segundo o Valor, ‘o quadro é pior para quem vive em Colniza, no noroeste do Mato Grosso. A cidade é a sexta maior emissora do País e a maior per capita – 358 toneladas. É como se cada habitante do município tivesse mais de 300 carros rodando 20 km por dia, diz nota enviada à imprensa.

Em 2019 São Félix do Xingu representou

O lado positivo do novo estudo

O lado positivo mostra um dos efeitos das Unidades de Conservação. A Amazônia concentra grande parte delas que, por seus serviços sistêmicos, fazem o contrário, retirando gases de efeito estufa da atmosfera.

‘O campeão’, diz o Valor, ‘é Altamira, o maior município do Brasil em área, que tem remoções de mais de 22 milhões de toneladas de CO2’.

O trabalho do Observatório do Clima visa ajudar os gestores municipais a enfrentarem suas dificuldades. Tasso Azevedo, coordenador-geral do trabalho diz que ‘menos de 5% dos municípios brasileiros tinham algum inventário de emissões de gases estufa até hoje.

Os três maiores emissores fora da Amazônia

Em quarto lugar está São Paulo. Rio de Janeiro ocupa a nona posição. E Serra, no Espírito Santo, a décima. As emissões nos dois primeiros são provocadas pelos transportes, já em Serra, a causa é uma grande siderúrgica e os processos industriais, segundo o estudo do Observatório do Clima.

PUBLICIDADE

São Paulo ainda lidera as emissões no setor de energia, com 12,4 toneladas, seguida por Manaus, com 6,2 toneladas, e Rio de Janeiro, com 6 milhões de toneladas.

Sobre o protagonismo de São Felix do Xingu nas emissões de gases de efeito estufa vale lembrar a Folha de S. Paulo em editorial, ‘Lideranças do agronegócio costumam alegar que não é necessário desmatar mais para produzir alimentos. Só falta viabilizar tal promessa com ações concretas e políticas públicas condizentes’.

Imagem de abertura: Wikipedia

Fontes: https://valor.globo.com/brasil/noticia/2021/03/04/municipio-de-sao-felix-do-xingu-no-para-tem-mais-emissoes-que-o-chile-inteiro.ghtml; https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2021/03/poluicao-amazonica.shtml; https://www.dw.com/pt-br/a-capital-do-desmatamento-na-amaz%C3%B4nia/a-52243986.

Tubarões que brilham, três espécies descobertas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here