Resex Lagoa do Jequiá

0
1844
views

Resex Lagoa do Jequiá

Resex Lagoa do Jequiá: área utilizada por populações extrativistas tradicionais, cuja subsistência baseia-se no extrativismo e, complementarmente, na agricultura de subsistência e na criação de animais de pequeno porte. Sua criação visa a proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, assegurando o uso sustentável dos recursos naturais da unidade. 

BIOMA: Marinho Costeiro

Localização: litoral Sul de Alagoas, município de Jequiá da Praia.

ÁREA: 10.203,79 hectares

DIPLOMA LEGAL DE CRIAÇÃO: Dec s/nº de 27 de setembro de 2001

Tipo: uso sustentável

Plano de manejo: não há.

Caderno de Anotações

Resex Lagoa do Jequiá: mais uma  visitada. Mais dúvidas sobre a validade desse tipo de Unidade de Conservação. A resex fica na lagoa de mesmo nome, infestada de Tucunarés, espécie originária das bacias Amazônica, e Araguaia- Tocantins.

Resex Lagoa do Jequiá, imagem  da-lagoa Jequiá
Resex Lagoa do Jequiá. Lagoa do Jequiá

Trouxeram o Tucunaré para a região

Este é um peixe carnívoro que se alimenta de camarões e outros peixes. Criadores trouxeram o Tucunaré para a região de Mato Grosso, e também para áreas do Nordeste. Ele acabou se tornando um problema já que vem dizimando espécies nativas. Na Lagoa do Jequiá também há Tilápias, outra espécie agressiva, originária da África. Mais conhecida do grande público como Saint- Pierre. Este nome ‘bonito’ foi o escolhido para que a Tilápia pudesse ‘frequentar’ o cardápio de restaurantes finos. Se continuasse com o nome original não haveria demanda.

O problema da introdução de tipos exóticos

O problema da introdução de tipos exóticos, conhecido e discutido mundo afora, é que a prática é considerada como a segunda maior causa da perda de biodiversidade. A principal, como se sabe, é o desaparecimento de habitats naturais.

Resex Lagoa do Jequiá, imagem de pescador mostrando o-tucunare
Tucunaré.

Conversei com vários pescadores da lagoa. Todos foram unânimes em apontar o Tucunaré como causa principal da diminuição do pescado na resex. Pior. Depois que é introduzido, e começa a se reproduzir, é praticamente impossível sua erradicação. A introdução do Tucunaré em quase todo o Brasil deve-se principalmente a dois fatores: sua carne é bastante apreciada, e sua captura fascina os pescadores esportivos. Ele tem causado esses mesmos problemas no Pantanal desde que, em 1982, houve uma ruptura de um tanque criatório.

Espécies exóticas em todo o litoral brasileiro

Resex Lagoa do Jequiá, imagem de um-braço-de-rio-
Resex Lagoa do Jequiá. Pequeno braço de rio que deságua na lagoa.
O problema da introdução de espécies exóticas ameaça toda a costa brasileira. E eles não se resumem a peixes. Há os corais, como o coral sol trazido por plataformas de petróleo que hoje ameaçam a baía de Ilha Grande, no Rio de Janeiro, e até o banco de corais de Abrolhos. Ou moluscos, como o mexilhão dourado, espécie asiática introduzida por água de lastro de navios, que tomou conta da Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, e hoje é um problema até para as turbinas da usina de Itaipu, entupindo muitos de seus encanamentos.

Resex, um tipo controverso de Unidade de Conservação

Por esses motivos, mais a constante extração por parte da população credenciada na resex, não acredito que a biodiversidade da Lagoa do Juquiá esteja assegurada. Ao contrário. É questão de tempo para que a fauna vá pro brejo de vez.
Resex Lagoa do Jequiá, imagem da lagoa de jequiá
Margem sul.
A flora que cerca a lagoa, leia-se Mata- Atlântica, está agonizante. Toda a área em volta foi dedicada ao plantio da cana-de-açúcar, monocultura que por si já traz vários problemas. Atualmente apenas a margem norte  ainda conserva algum remanescente da mata original. Mesmo assim, misturada a palmeiras de coco. Do lado sul há diversos clarões, áreas totalmente desmatadas, e pequenas vilas onde não há qualquer tratamento de esgoto. A sujeira corre direto para a lagoa.

Os usineiros e o usucapião

Estas pobres vilas (Ponta de Pedra,Roçadinho, Ponta Dágua, França, Alagoinha e Paturais) foram formadas, em parte, por medo dos usineiros da região. De acordo com o analista ambiental que nos recebeu, Petrúcio Nascimento, os donos de terra tinham receio que seus funcionários pudessem, ao longo do tempo, ser beneficiados pelo usucapião e assim acabarem donos das casas em que moravam nas propriedades rurais. A reação dos proprietários foi radical. Derrubaram as casas de seus funcionários que, sem ter para onde ir, acabaram criando estas vilas nas margens da lagoa. Algumas destas pessoas continuam trabalhando nas usinas até hoje mas vão para o trabalho de ônibus…
Com todos estes problemas até quando a biobiversidade de Juquiá pode resistir?
Resex Lagoa do Jequiá, imagem de  barco-azul
Barco às margens do braço que deságua no mar.

Atravessando a cidade

Resex Lagoa do Jequiá, imagem da-cidade de Jequiá
Jequiá da Praia
O braço da lagoa que deságua no mar ainda atravessa a cidade de Jequiá da Praia, com 11 mil habitantes. Trata-se de mais uma cidade pobre de Alagoas, sem saneamento básico e por isso mesmo, mais um problema para a diversidade da Lagoa. Onde você imagina que o esgoto vai parar?

Tipos de pesca na Lagoa do Jequiá

Resex Lagoa do Jequiá, imagem de pescador vigiando-o-pescado
Resex Lagoa do Jequiá. Vigiando o pescado.
Além de peixes, são pescados o camarão, com um tipo de covo conhecido localmente como Ticuca, e siris que são filetados e vendidos em seguida.
Resex Lagoa do Jequiá, imagem de um-barco-e-covos
Resex Lagoa do Jequiá. Barco lotado de covos para camarão.
E não são apenas os cadastrados na resex que pescam. Há também pescadores esportivos que frequentam a Lagoa e, de acordo com nosso barqueiro Isaac, pescam peixes abaixo do tamanho mínimo levando embora indivíduos que ainda não atingiram a maturidade, ou seja, antes de chegarem ao período de reprodução.

Barra de Jequiá

Resex Lagoa do Jequiá, imagem da-praia-barra-jequia
Resex Lagoa do Jequiá. Barra do Jequiá
Resex Lagoa do Jequiá, imagem da praia da barra
Resex Lagoa do Jequiá. Praia antes da barra.
A praia onde se localiza a foz do braço da lagoa é o que se salva. Uma belíssima praia, com o rio cortando-a ao meio, o que dá ao local um charme extra. A beleza desta praia foi o que salvou a visita já que não acredito que a resex tenha a capacidade principal apregoada pelo ICMbio: “A criação da resex visa a proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, assegurando o uso sustentável dos recursos naturais da unidade.”

SERVIÇOS

Não há qualquer restrição para a visitação da Resex. 
Maiores informações sobre a UC: COORDENAÇÃO REGIONAL / VINCULAÇÃO: CR6 -CabedeloENDEREÇO / CIDADE / UF / CEP: SUPES/AL – Av. Fernandes Lima, 4.023 Km 06 Farol – Maceió/AL – CEP: 57.057-000TELEFONE: (82) 2122.8331 – 2122.8301/VOIP (61) 3103-9852

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here