Pinguim-Imperador em risco de extinção

0
650
views

Pinguim-Imperador em risco de extinção

Recentemente publicamos um post mostrando que, em cerca de 38 anos, os animais vertebrados selvagens diminuíram em 69% em razão de nosso modo insustentável de viver. Bastou uma semana para novo aviso da academia. Pelo mesmo motivo, o pinguim-imperador está agora em risco de extinção. Matéria do www.whoi.edu informa que  o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA (USFWS) anunciou que os pinguins-imperadores foram listados sob a Lei de Espécies Ameaçadas (ESA), com base em evidências de que o habitat de gelo marinho do animal está diminuindo e é provável que continuará a fazê-lo nas próximas décadas.

pinguim imperador em risco de extinção
Pinguim-Imperador em risco. Imagem, Daniel Zitterbart © Woods Hole Oceanographic Institution.

Conheça o Pinguim-Imperador

Eles são os maiores pinguins entre as 18 espécies da Antártica com, em média, 120 centímetros de altura. Reproduzem-se, e criam seus filhotes, principalmente em ‘fast ice’, uma plataforma flutuante de oceano congelado que está conectada à terra ou a plataformas de gelo.

Segundo o www-wwf.org.ukExistem aproximadamente 595.000 pinguins-imperadores adultos na Antártida. Mas devido à falta de pesquisa, ainda há muito que não sabemos sobre essas magníficas criaturas polares.

Os imperadores incubam seus ovos durante os longos e escuros meses de inverno do Sul. As exibições de namoro são intrincadas, mas a cópula é rápida e a fêmea põe um único ovo em maio ou junho. Ela, então, passa ao seu companheiro para incubar. Enquanto isso, a fêmea passa as nove semanas seguintes no mar, alimentando-se.

Os imperadores são adaptados de maneira única para sobreviver a essas condições adversas, quando as temperaturas podem cair para -50°C e com ventos de até 200 km/h.

Contudo, o mais notável é que colônias de adultos e filhotes trabalham juntas para se aconchegar em busca de calor. Milhares de adultos e filhotes bem embalados se movimentam, então cada um dá uma volta – curta – do lado de fora do amontoado, onde está frio, para assim manter o calor necessário à vida.

PUBLICIDADE

Por último, diz o www-wwf.org.ukOs pinguins-imperadores são os mergulhadores olímpicos do mundo das aves. O mergulho mais profundo registrado foi de 564 m.

Lei de Espécies Ameaçadas nos USA

Segundo o www.whoi.edu, A Lei de Espécies Ameaçadas é a lei ambiental mais forte do mundo focada em prevenir a extinção e facilitar a recuperação de espécies ameaçadas. A ESA tem sido cada vez mais aplicada para fornecer proteção a espécies ameaçadas principalmente, ou em parte, pelas mudanças climáticas, sendo o urso polar a primeira espécie listada, especialmente devido ao aquecimento global (2008).

Ao ser incluída na lei, a ave terá a  cooperação internacional em estratégias de conservação. Ao mesmo tempo, aumenta-se o financiamento para programas de conservação, além de estimular a pesquisa que propõe ferramentas concretas para a redução de ameaças.

E, conclui, As agências federais agora são obrigadas a reduzir as ameaças aos pinguins-imperadores, garantindo até mesmo que projetos federais que emitem grandes volumes de poluição por carbono não prejudiquem o pinguim ou seu habitat e que a pesca industrial não esgote as principais espécies de presas da ave.

As ameaças à ave

Os pinguins-imperadores precisam de gelo marinho para formar colônias de reprodução, buscar comida e evitar a predação. À medida que as emissões de dióxido de carbono aumentam, a temperatura da Terra esquenta. Assim,  a redução relacionada do gelo marinho pode afetar uma variedade de espécies, incluindo os pinguins-imperadores, que dependem dele para sobreviver.

Segundo o www.fws.gov, No entanto, de acordo com a melhor ciência disponível, até 2050 o tamanho da população global provavelmente diminuirá em 26% (para aproximadamente 185.000 casais reprodutores) a 47% (para aproximadamente 132.500 casais reprodutores) sob cenários de baixa e alta emissão de carbono, respectivamente.

A diminuição estimada no tamanho da população não é igual em toda a Antártida. Os mares de Ross e Weddell são redutos para a espécie, e as populações nessas áreas provavelmente permanecerão estáveis. No entanto, as colônias de pinguins-imperadores nos setores do Oceano Índico, Pacífico Ocidental e Mar de Bellingshausen e de Amundsen devem diminuir em mais de 90% devido ao derretimento do gelo marinho.

Embora esse declínio estimado seja preocupante, listar o pinguim-imperador como ameaçado pela ESA ocorre enquanto ainda há tempo para impedir a extinção da espécie.

Assista ao vídeo e veja a beleza da migração anual dos animais

Vale das Baleias, no deserto ocidental do Egito

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here