Peixes pênis desenterrados em praias após tempestade

0
2015
views

Peixes pênis invadem praias da Califórnia

Na verdade os peixes pênis não são peixes. Mas um tipo de verme marinho conhecido como Urechis caupo. A BBC explica: “Embora sejam um tipo de verme, eles são amplamente referidos como “peixes pênis”. Os vermes enterram-se nas profundezas da areia, mas tempestades recentes os arrancaram e Drakes Beach, cerca de 80 quilômetros ao norte de São Francisco, ficou coberta pelas criaturas.”
“Sim, o design físico do verme gordo  tem algumas explicações. O peculiar formato do estalajadeiro  é perfeitamente moldado para uma vida passada no subsolo”, escreveu o biólogo Ivan Parr.

imagem do verme marinho Urechis caupo conhecido como peixe pênis
O verme Urechis caupo. Qualquer semelhança…Imagem, BBC.

Peixes pênis são fósseis com cerca de 300 milhões de anos

BBC: “Há evidências fósseis de criaturas que datam de 300 milhões de anos.  Algumas vivem até 25 anos. Em uma praia, as criaturas cavam uma toca em forma de U que se estende por vários metros de comprimento. Seu apelido mais educado – verme estalajadeiro – vem desse estilo de vida subterrâneo. E dos túneis que eles criam para outros animais enquanto se enterram no subsolo. Várias outras espécies, incluindo peixes, tubarões e lontras, são predadores  do peixe pênis.”

Iguaria em países como a Coréia do Sul

BBC: O peixe pênis é considerado alimento para humanos também. Urechis unicinctus, a espécie encontrada no leste da Ásia, é uma iguaria em países como a Coréia do Sul.” Não foi só a BBC que abriu espaço para a criatura. O livescience também abordou o caso. “Apesar do apelido, um “peixe pênis” não é um pênis nem um peixe. É realmente um tipo de verme marinho não segmentado, nativo apenas da costa do Pacífico, entre o sul do Oregon e a Baixa Califórnia, no México. Os infeliz apelido do verme e sua forma de linguiça são o resultado de centenas de milhões de anos de construção de tocas ao longo da praia. Desde a extremidade frontal de sua toca, o verme é predador de petiscos à beira-mar, como plâncton, bactérias e outros detritos.”

Tempestades desenterram os peixes pênis

Segundo a CNN, “As fortes tempestades que atingiram Drakes Beach, no dia de Ação de Graças, despejaram uma polegada de chuva e rajadas de vento de 75 quilômetros por hora na área, disse o biólogo Ivan Parr.  Foi esta intempérie que desenterrou os vermes de suas tocas. E provocou enorme espanto entres frequentadores. Os vermes bulbosos podem viver a vida inteira no subsolo, escondidos em tocas, sob a areia molhada ao longo da costa da Califórnia. Caranguejos,  amêijoas e o pequeno peixe-flecha dividem espaço com o verme. E comem a comida que ela descarta.

imagem de praia na Califórnia coberta por peixes pênis
Imagem, CNN.

A praia onde foram desenterrados

Para o https://phys.org/, “Estes vermes, que atingem cerca de 10 polegadas. Eles são hábeis em cavar tocas em praias e pântanos, usando os túneis para pegar comida. Eles são atacados por lontras, linguados, tubarões, raias, gaivotas e humanos. Estes últimos os comem como sashimi, fritos ou grelhados. A praia recebeu o nome de Francis Drake, porque se acredita que o navegador  nela desembarcou em 1579 durante sua circunavegação pelo mundo.”

mapa da praia da Califórnia onde acharam peixe pênis

Fontes: https://www.bbc.com/news/world-us-canada-50779461; ttps://www.livescience.com/thousands-of-penis-fish-stranded-california.html?utm_source=Selligent&utm_medium=email&utm_campaign=11382&utm_content=20191213_LS_Essentials_Newsletter+-+adhoc+&utm_term=3019238&m_i=PnkpdxpL5IOlk5WShbFuK2C5ovNIAYNXIgH_al2zdt49VzqP8udANSyGkfy2WsuZTlt1sqoDwTWhBFa%2BljAZai1nkIoVw5FMPj; https://edition.cnn.com/2019/12/14/us/fat-innkeeper-worms-california-beach-scn-trnd/index.html; https://phys.org/news/2019-12-thousands-penis-fish-exposed-california.html.

Unidades de Conservação brasileiras: alguns problemas

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here