Conheça os locais mais profundos dos oceanos

2
7147
views

Conheça os locais mais profundos dos oceanos

Depois de navegar 47.000 milhas em 10 meses, e completar 39 mergulhos, a Expedição Five Deeps chegou ao final com sucesso: a primeira descida tripulada aos locais mais profundos de cada um dos cinco oceanos do mundo. Se o local mais profundo dos oceanos já era conhecido, a Fossa das Marianas (10.925m), no Pacífico, nos outros oceanos persistiam algumas dúvidas que agora foram definitivamente enterradas. Conheça os locais mais profundos dos oceanos.

Mapa mundi com locais mais profundos dos oceanos
Ilustração, The Guardian.

A Expedição Five Deeps

A figura de proa da expedição foi o financista e aventureiro texano Victor Vescovo, um ex-reservista da marinha dos Estados Unidos, multimilionário de Wall Street fundador da empresa de private equity Insight Equity Holdings, que queria se tornar a primeira pessoa a mergulhar nos locais mais profundos dos cinco oceanos: Pacífico, Atlântico, Índico, Ártico, e no oceano austral.

Imagem do navio usado na expedição Five Deeps
O navio usado pela expedição. Imagem, Five Deeps.

Para atingir seus objetivos foi preciso muita tecnologia. A expedição usou o primeiro submersível de casco de titânio para duas pessoas, e um navio de pesquisa e exploração com 68 metros de comprimento, entre outros.

Imagem do submarino que desceu nos locais mais profundos dos oceanos
O submarino por fora.

O mini submarino foi construído pela  Triton, a mesma empresa que já oferece submarinos particulares ao mercado,  que já foi tema de comentários neste espaço.

Segundo o site do projeto ‘o desafio apresentado aos especialistas em mergulho profundo da Triton Submarines era desenvolver um veículo que possibilitasse viagens repetidas ao ponto mais profundo do oceano’.

PUBLICIDADE

Imagem do submarino que desceu nos locais mais profundos dos oceanos
E agora, por dentro.

‘O mini submarino é uma plataforma para cineastas, cientistas e exploradores, o Limiting Factor oferece possibilidades virtualmente ilimitadas. Ele foi projetado para realizar uma variedade de tipos de missões.  Está programado para ser equipado com câmeras 4K, um equipamento de iluminação de alto desempenho, uma série de equipamentos de amostragem científica e um braço mecânico altamente hábil’.

Imagem do submarino Five Deeps no mar
A foto ilustrou matéria do The Guardian, e mostra a volta do submarino à tona depois de mais um mergulho.

Para nós, o mais importante é o fato de que as expedições ao oceano profundo, do qual só se conhece 20%, começam a ficar mais frequentes. Temos ainda muito a aprender e descobrir.

Conheça os locais mais profundos dos oceanos

Uma das incertezas que havia antes da expedição era sobre o local mais profundo do Índico. Havia duas reivindicações concorrentes para o ponto mais profundo – uma seção da Fossa de Java na costa da Indonésia; e uma zona de fratura no sudoeste da Austrália.

Imagem de Victor Vescovo
O presidente da Triton Submarines, Patrick Lahey (à esquerda), analisa os locais de mergulho com Victor Vescovo.

No Pacífico, a Fossa das Marianas, com 10.925 metros

A revista Forbes assim anunciou a descida da expedição Five Deeps no Pacífico: ‘O empresário Victor Vescovo, 53, acaba de quebrar o recorde mundial do mergulho mais profundo da história. Vescovo levou seu submersível a 10.927 metros abaixo da superfície do Oceano Pacífico na parte Challenger Deep da Fossa das Marianas, quebrando o recorde de profundidade de Don Walsh e Jacques Piccard estabelecido em 1960′.

imagem de Victor Vescovo a bordo de submarino
Victor Vescovo no comando do submarino batizado Limiting Factor’, na descida na Fossa das Marianas.

Ao mesmo tempo, Vescovo estabeleceu outro recorde por tornar-se a primeira e única pessoa a visitar o topo (ele alcançou o topo do Monte Everest) e a base do mundo’.

O mergulho também fez de Vescovo o segundo piloto solo de mergulho mais profundo da história, depois do cineasta James Cameron, que chegou ao fundo do ponto mais profundo do Pacífico, a Fossa das Marianas, em 2012.

Imagem de Victor Vescovo e seu submarino
Vescovo se prepara para entrar no Fator Limitador para seu mergulho recorde. Também na foto: o nadador de resgate Colin Quigley, dos submarinos Triton. Caladan Oceanic

No Atlântico, a Fossa de Porto Rico, com 8.408 metros

O lugar mais profundo do Atlântico é a Fossa de Porto Rico, um lugar chamado Brownson Deep, a 8.378 m. Ao terminar o mergulho Vescovo declarou:

“Foi ótimo chegar ao verdadeiro fundo do Oceano Atlântico pela primeira vez na história. Nossa ignorância sobre os oceanos é bastante dramática, nem mesmo sabíamos quais eram os pontos mais profundos de quatro oceanos.”

No oceano Austral, Factorian Deep, com 8.183 metros

Da mesma forma, no Oceano Antártico, existe agora um novo local que devemos considerar o ponto mais profundo daquela região.

O submarino Five Deeps sendo içado para um navio
O submarino sendo içado depois do mergulho no oceano austral.

É uma depressão chamada Factorian Deep no extremo sul da South Sandwich Trench, a 7.432 m de profundidade. Nenhum ser humano jamais mergulhou na fossa Factorian Deep, localizada ao norte do continente Antártico.

No Índico, a fossa de Java, com 7.290 metros de profundidade

As rigorosas técnicas de medição empregadas pela equipe do Five Deeps confirmaram que Java é o vencedor, mas esta seção mais baixa da fossa – a uma profundidade de 7.187m – está na verdade a 387 km de onde os dados anteriores sugeriam que o ponto mais profundo poderia estar.

Imagem do submarino que desceu aos locais mais profundos dos oceanos
A volta de mais um mergulho.

No Ártico, 5.573 metros de profundidade

O último mergulho para Vescovo completar os Five Deeps foi o que aconteceu no Ártico, na zona abissal, no local denominado Molloy Deep.

Repercussão

Para a BBC ‘ o contexto mais amplo aqui é a busca por melhores dados de mapeamento do fundo do mar em geral. O conhecimento atual é lamentável. Aproximadamente 80% do fundo do oceano global ainda precisa ser examinado de acordo com o padrão moderno entregue por empresas como a Five Deeps Expedition’.

PUBLICIDADE

“Ao longo de 10 meses, ao visitarmos esses cinco locais, mapeamos uma área do tamanho da França continental. Mas dentro dela havia uma área do tamanho da Finlândia que era totalmente nova, onde o fundo do mar nunca tinha sido visto antes”, explicou o membro da equipe Dra. Heather Stewart do British Geological Survey.

“Isso apenas mostra o que pode ser feito, o que ainda precisa ser feito. E a queda de pressão continua a funcionar, então estamos coletando mais e mais dados”, disse ela à BBC News.

Todas essas informações estão sendo repassadas ao Projeto Nippon Foundation-GEBCO Seabed 2030, que visa compilar, a partir de várias fontes de dados, um mapa de profundidade total do oceano até o final da década.

Assista ao vídeo da expedição e saiba mais

Imagem de abertura: The Five Deeps

Fontes: https://www.theguardian.com/science/2018/dec/22/wall-street-trader-reaches-bottom-of-atlantic-in-bid-to-conquer-five-oceans; https://www.popsci.com/victor-vescovo-five-deeps-submarine/; https://www.newyorker.com/magazine/2020/05/18/thirty-six-thousand-feet-under-the-sea; https://fivedeeps.com/home/expedition/; https://www.bbc.com/news/science-environment-57063396.

Floresta Amazônica pode emitir mais gases de efeito estufa do que absorver

Comentários

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here