Começa a operaçao de resgate do Mar Sem Fim – 10/1/2013

34
1384
views

 

Desde o dia 7 de janeiro estamos em Punta Arenas, hospedados a bordo do navio Felinto Perry, da Marinha do Brasil, que vai nos levar até  a Antártica para a operação de reflutuamento, e posterior reboque, do Mar Sem Fim.

Felinto Perry no porto de Punta Arena
Felinto Perry no porto de Punta Arena

Vieram comigo Plinio Romeiro Jr., amigo de longa data que participou dos últimos momentos do barco, no verão passado, na ilha Rei George; o cinegrafista Alessandro Taques, e o editor e cinegrafista Alexandre Nogueira. Pretendemos resgatar o Mar Sem Fim e, ao mesmo tempo, registrar tudo em forma de documentários.

Plinio, Alexandre e Alessandro.
Plinio, Alexandre e Alessandro.

Esta manhã tivemos uma reunião com o Comandante do navio que nos informou sobre as condições no Drake. O “bicho está pegando na área”. Ventos muito fortes e ondas altas atrasam nossa saída. O Drake impõe respeito mesmo para um navio do porte do Felinto Perry. Não vale a pena afrontá-lo. Vamos aguardar no porto de Punta Arenas até que as condições melhorem.

Praça de Punta Arenas e a estátua de Fernão de Magalhães, nauta português que descobriu o estreito que leva seu nome, às margens do qual nasceu a cidade.
Praça de Punta Arenas e a estátua de Fernão de Magalhães, nauta português que descobriu o estreito que leva seu nome, às margens do qual nasceu a cidade.

O Felinto Perry foi construído na Noroega, em 1979, e incorporado a Marinha do Brasil em 1988. O navio tem 78 metros de comprimeito, por 18 de largura. Ele leva cerca de 100 tripulantes e tem uma autonomia média de 30 dias no mar. A velocidade de cruzeiro é de 9 nós. Este é um navio especializado em socorro a submarinos. Este verão ele foi enviado para a Antártica para ajudar no trabalho de remoção da antiga base brasileira, Comandante Ferraz, que pegou fogo no ano passado sendo parcialmente destruída. As regras do Tratado Antártico, do qual o Brasil é signatário, exigem que todos os destroços sejam trazidos de volta para a América do Sul. É o mesmo caso do Mar Sem Fim, que naufragou na ilha Rei George, mesmo local da base brasileira, dia 7 de abril deste ano.

O Felinto Perry no porto. Atrás, o Estreito de Magalhães.
O Felinto Perry no porto. Atrás, o Estreito de Magalhães.

Tudo que não for originário da Antártica deve ser retirado. O continente foi consagrado à pesquisa. Há grande preocupação com a presença humana, seja dos pesquisadores dos cerca de 80 países que têm bases na região, seja por parte dos turistas que todos os verões visitam a área. Infelizmente, onde chega o ser humano, chegam também os problemas…

Está quase tudo pronto para nossa partida. As condições do Drake para os próximos dias parecem melhores. Falta apenas acertar  um rebocador para trazer de volta o Mar Sem Fim, depois de reflutuado, para podermos deixar Punta Arenas.

Esta é a minha cabine
Esta é a minha cabine

Ainda no dia de hoje devemos resolver esta questão. Possivelmente saímos amanha para uma viagem de cerca de 4 dias até a ilha Rei George.

Cabine, e sala de edição, de meus três companheiros: Plinio, (deitado na cama), Alessandro e Alexandre.
Cabine, e sala de edição, de meus três companheiros: Plinio, (deitado), Alessandro e Alexandre.

Vou informando sempre que puder. Fique atento ao site.

Comentários

34 COMENTÁRIOS

  1. oi mecha-mo André e assisti o documentário sobre o estreito de Magalhães e gostaria que vocês me disponibilize para baixar a reportagem enteia dês do oceano atlântico ao oceano pacifico.

    dês de já muito obrigado

    • André: não posso fazer isto. O documentário não é só de minha propriedade, mas do Grupo Bandeirantes também. Não tenho o direito de colocá=lo a disposição para download, apenas no site. Pelo menos as pessoas podem assistir sempre que quiserem. Vc experimentou assitir via site? Acabei de colocar os cinco documentários da primeira viagem à Antártica, e a qualidade do vídeo é bem boa.Obrigado pelo correio, abraços

  2. Olá Sr. João Lara, sou Militar da Marinha do Brasil, sou do quadro de máquinas e acompanhava sempre o programa na TVE (educativa) aqui no Rio. Um dia espero navegar com o Senhor. Este é meu sonho. Servi embarcado no extinto D-28 Paraíba e na Fragata Dodsworth F-47. Quando precisar de um homem do mar pode contar comigo. Grande Abraço.

  3. Acho Facinante esse trabalho fico feliz que há pessoas como vocês que lutam pela natureza que é uma só e como voces mesmo dizem onde entra o ser humano entra problema mas isso é porque as pessoas não são treinadas de forma correta a respeitar a natureza.quem sabe um dia…Parabéns a vocês me mandem novidades. Muito obrigado!

  4. Eu li a sua viagem aonde afundou seu barco, gostei muito da aventura e fiquei muito triste quando ele afundou e agora quero ler o resgate do barco. Boa sorte para você e seus companheiros. Renata Castro

  5. João,
    Gostando de barcos, sempre admirei a nossa Marinha Brasileira, agora com o apoio ao “mar sem fim” fico mais orgulhoso ainda desta nobre força armada.

    Quando o mar sem fim boiar, se possível tire a agua dos motores e coloque oleo diesel até o topo do motor fechando claro com rola o cano da vareta de nível de óleo, e respiros do motor.

    Sucesso

    Junior Lara

    • Junior, que prazer receber uma mensagem sua! Obrigado, amigo. Tb admiro muito a Marinha do Brasil. Com pouco eles fazem muito.
      Vamos que vamos! Abração

  6. João e Plininho estou torcendo por vocês. Histórias de mar são sempre interessantes e surpreendentes. Estou certo que esta etapa vai ser um sucesso. No meu ver fotos com um texto curto postado acima está ótimo.
    Abraço forte, Zé

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here