Canoa Luzitânia é retirada do local do alagamento

3
3302
views

Canoa Luzitânia é retirada do local do alagamento, restauro permanece em suspense

Lampião e seus cabras navegaram na canoa Luzitânia nos anos 30, quando da fase sedentária do cangaceiro estabelecido no Baixo São Francisco. Em seguida veio uma série de proprietários, e a canoa foi engajada no transporte de carga geral como queijo, leite, querosene e gasolina, entre o sertão e a região de Penedo. Sobre a Luzitânia, disse Dalmo Vieira Filho, um dos maiores conhecedores das embarcações típicas brasileiras…

Canoa Luzitânia alagada
Desde janeiro a Luzitânia estava alagada. Imagem, Reprodução/TV Gazeta.

Dicionário de soluções técnicas

“Ela é um dicionário de soluções técnicas, de maneiras de construir barcos, e de navegar sobre um rio como o São Francisco. É de um valor inestimável.” E concluiu o especialista: ‘A perda de um bem cultural deste valor não pode se dar por mero capricho burocrático’, enfatizou. E concluiu: ‘Seria demais’. Seria, mas não foi graças à Justiça, e não por vontade própria do IPHAN, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que a tombou anos atrás quando o órgão ainda funcionava.

A luta para salvar a Luzitânia

Devemos o feito a Carlos Eduardo Ribeiro, o mesmo que a encontrou abandonada em 1999, e dedicou sua vida, desde então, a mantê-la em atividade. Por quê? Simplesmente porque é a mais bela e rica canoa do País, e a derradeira canoa de tolda do País. Uma relíquia naval.

Como apregoa o site do projeto, ‘A manutenção da canoa de tolda Luzitânia ativa, além de preservar elemento afetivo da população das margens, também contribui para a preservação da cultura e história do Baixo São Francisco, com suas ramificações aos trechos médio e submédio do rio’.

Alagada em janeiro de 2022

A Chesf – Companhia Hidrelétrica do São Francisco – aumentou a vazão São Francisco no momento em que a canoa estava aberta para reparos. Ela não aguentou e foi alagada. Tombou, e ficou assim desde então, encostada sobre um dos costados nas margens do rio. Desde que foi alagada, Carlos Eduardo luta para conseguir tirá-la d’água e repará-la. Mas não encontrou respaldo na atual gestão do IPHAN.

PUBLICIDADE

Canoa Luzitânia no São Francisco
A Luzitânia ao tempo em que foi tombada. Imagem,

Depois de muito pedir e não receber resposta, Carlos acionou a Justiça e conseguiu finalmente o respaldo que pretendia. Em 31 de janeiro, a Justiça condenou o IPHAN, em decisão liminar, a arcar com os custos para retirar a Luzitânia da situação em que se encontra mas, incrivelmente o órgão que a tombou, recorreu da decisão.

“Com o desaparecimento da Luzitânia a gente sente uma espécie de amputação cultural.”

Foram estas as palavras do navegador Amyr Klink, ao saber do destino da Luzitânia, alagada e sem apoio do órgão que reconheceu seu valor anos atrás.

A decisão da Justiça

Por decisão do Juiz Edmilson da Silva Pimenta, em Ação Civil Pública ajuizada pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco, Canoa de Tolda, tendo como réu o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, IPHAN, o órgão foi condenado a:

“Efetuar em caráter de urgência, até o dia 31/01 através de pessoal qualificado e medidas seguras, a remoção da Canoa de Tolda Luzitânia do local em que se encontra para outro seguro (inclusive de saques de terceiros), para que a mesma seja retirada da água e possa permanecer em total segurança para que ocorra processo de secagem até que ocorram as indispensáveis ações de conservação…”

IPHAN resistiu…e ainda resiste. Retirou a canoa mas não garante seu restauro

…e recorreu da decisão. De acordo com o site do projeto, “Na tarde de hoje, 16 de fevereiro, a histórica canoa Luzitânia voltou a flutuar no Mato da Onça, no alto sertão alagoano, sendo removida para a cidade de Traipu, aproximadamente 90 km a jusante, onde será retirada da água e estocada.”

Canoa Luzitânia
A beleza da Luzitânia. Imagem, , Nilton Souza.

“A partir de decisão da Justiça Federal, o IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional contratou empresa que realizou a manobra de resgate e condução da canoa Luzitânia para local onde será retirada da água para as ações de reparo e conservação.”

A Luzitânia se encontrava em navegação rumo a Traipu

E concluiu o site: ‘No momento do fechamento desta matéria a canoa Luzitânia se encontrava em navegação rumo a Traipu, Alagoas, onde tem chegada prevista para a madrugada do dia 17’.

Luzitânia rebocada
A Lusitânia reboca a caminho de porte seguro. Imagem, Edson Goes / Canoa de Tolda.

Não estamos otimistas apesar da canoa ter sido retirada das precárias condições em que estava. Aparentemente, nada mais está garantido. A Luzitânia segue para um sítio às margens do rio, e não uma marina, que não tem condições de colocá-la em local seguro  ou qualificação para seu restauro.

Sobre o que será dela ainda é um mistério. O recurso do órgão à Justiça garantiu a retirada da canoa, mas não o reparo! Além disso, o IPHAN age sozinho e não  deu garantias sobre o restauro. Assim tratam os bens culturais do País nos dias atuais.

Enquanto isso as elites de Alagoas e do Sergipe até o momento sequer se manifestaram como fizeram os especialistas  Luiz Phelipe Andrés, Dalmo Vieira Filho, além  do navegador Amyr Klink, entre outros. Esta é mais uma prova do descaso com a cultura, e do IPHAN, que se recusa a prestar informações à sociedade que é quem paga a conta.

Permanecemos perplexos, e na expectativa, sobre o futuro da Luzitânia.

Saiba o que pensam os especialistas sobre o valor da Luzitânia

A importância da canoa Luzitânia

Imagem de abertura: Edson Goes / Canoa de Tolda.

Rações para peixes: uma das causas da sobrepesca

Comentários

3 COMENTÁRIOS

  1. Só consegui ler a reportagem na sua página. Lamento! Vou aproveitar pra lhe fazer um pedido/pergunta: que fim levou a réplica da caravela que foi recriada por ocasião dos 500 anos da descoberta do Brasil que iria atravessar a baía da guanabara e não chegou nem ao meio do trajeto e que custou à época, mais de meio milhão de reais? Tentei recuperar não só o prejuízo como ela própria mas os governos estadual e federal (leia-se MP-RJ e MPF) continuaram com o mistério. Até hoje não sei o que fizeram dela, vc sabe? Apesar de buscar respostas ñ fui informada. Obg Ma.Helena

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here