Belezas e mazelas da costa brasileira

0
445
views

ELIZABETH OLIVEIRA

A bordo do seu veleiro, o Mar Sem Fim, o jornalista João Lara Mesquita percorreu onze mil quilômetros, durante dois anos, cruzando os pontos mais extremos ao Norte e ao Sul do País, acompanhado de uma pequena tripulação que colaborou para a produção de uma série de 90 documentários exibida pela TV Cultura de São Paulo, entre abril de 2005 e abril de 2007. Depois de brindar os telespectadores, o resultado dessa viagem contempla agora os leitores, com o livro-reportagem, recém-lançado, O Brasil visto do Mar Sem Fim (editoras Albatroz, Loqüi e Terceiro Nome), um diagnóstico inédito das belezas e mazelas da costa brasileira.
A viagem, segundo Mesquita, reforçou a sua antiga impressão de que a sociedade em geral ainda não conhece bem a realidade costeira brasileira. Esse é um fato que também preocupa os pesquisadores dedicados ao tema. Citando o oceanógrafo Lauro Barcellos, da Fundação Universidade Federal do Rio Grande (Furg), o jornalista resume essa percepção: “O brasileiro adora praia, mas não enxerga além da arrebentação”.
O desconhecimento da sociedade, aliado à falta de políticas públicas que realmente consigam proteger a costa e todo o seu patrimônio, segundo o jornalista, contribuem para o agravamento de inúmeros problemas ambientais, que por sua vez, se reverte em prejuízos sociais e econômicos de Norte a Sul do Brasil.
Entre as mazelas conferidas ao longo da viagem, Mesquita citou a especulação imobiliária que está desfigurando paisagens do litoral nordestino, onde quilômetros de praias, dunas e demais ecossistemas costeiros estão sendo tomados pelos grandes resorts, pousadas, casas de veraneio, entre outras construções. A favelização, a destinação inadequada do lixo e o turismo desordenado, são outros fatores preocupantes.
O jornalista também fez referência à criação de camarões em cativeiro (carcinicultura), no litoral nordestino, como outro impacto ambiental grave que tem contribuído para a devastação dos manguezais e o empobrecimento da população dependente desse ecossistema, considerado berçário natural de vida marinha. “Esse é um setor que envolve interesses poderosos no Nordeste”, observou.
Com relação à beleza registrada em um vasto acervo fotográfico, o jornalista mencionou não só as paisagens deslumbrantes e a rica diversidade biológica e cultural, mas, principalmente, a relação das comunidades com a natureza. Caboclos, ribeirinhos e pescadores estão entre os habitantes da costa que fazem a diferença, segundo Mesquita, quando se trata de lidar de forma sustentável com os recursos naturais. “Eu que já tinha muita admiração por essa gente agora tenho muito mais”, afirmou.
Mesquita considera que o acesso à informação, a criação de alternativas de geração de renda para comunidades que dependem do uso direto de recursos naturais e o aumento da implementação de áreas protegidas marinhas (parques e reservas, por exemplo), podem contribuir para frear o nível de degradação que ao lado da sua equipe teve a chance de testemunhar do Oiapoque ao Chuí.
A jornalista Paulina Chamorro, integrante da equipe de apoio ao trabalho de Mesquita, também chamou a atenção para a importância do acesso à informação como parte do processo de construção de uma nova consciência no Brasil, pela qual o patrimônio socioambiental seja considerado elemento-chave na agenda de crescimento do País. Ela disse ter ficado impressionada com o alto nível de conhecimento científico sobre a biodiversidade e os ecossistemas costeiros brasileiros que ainda precisa ser traduzido pela mídia e melhor interpretado pela sociedade.
Os jornalistas esperam que O Brasil visto do Mar Sem Fim seja utilizado como instrumento pedagógico e ajude a sociedade brasileira a conhecer melhor as potencialidades e desafios da sua imensa área costeira. Conhecendo a realidade, ambos acreditam que os cidadãos poderão exercer mais pressão para que o Poder Público, a iniciativa privada e outros segmentos sociais, criem iniciativas de proteção e uso sustentável do patrimônio ambiental, cultural e humano que se estende de Norte a Sul do Brasil.

Serviço

O Brasil Visto do Mar Sem Fim
Autor: João Lara Mesquita
Editoras: Albatroz, Loqüi e Terceiro Nome
2 volumes (312 páginas cada)
R$ 198,00

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here