Aquecimento global, nada o supera em 2 mil anos

12
2625
views

Aquecimento global é considerado o evento mais forte em 2 mil anos

Cientistas do clima revelaram na Nature que descobriram que não há evidências de “períodos quentes e frios globalmente coerentes” nos últimos 2.000 anos antes da industrialização. Este grupo  chegou a uma conclusão surpreendente sobre  eras passadas de aquecimento e resfriamento. As antigas, foram casos regionais. Não, eventos globais. A pesquisa mostra que o aquecimento global observado nos últimos 150 anos causado pelos humanos, ‘é incomparável em sua escala global’.

ilustração da Terra sob aquecimento global
Ilustração: wonderworksonline.com.

Evidências de climas antigos reunidos em todo o mundo

Os autores utilizaram evidências de climas antigos reunidos  no mundo. De anéis de árvores a recifes de coral. Para eles, eventos como a Pequena Idade do Gelo (1300 a 1800), e o Período Quente Medieval (800 a 1200), eram  mais regionais do que globais. O que estão dizendo é que temperaturas médias globais anômalas não implicam, por si só, a existência de evento climático global. “A interpretação de séries temporais paleoclimáticas individuais não deve ser forçada a se encaixar em narrativas ou épocas globais”. A única vez nos últimos 2.000 anos que quase toda a Terra passou por aquecimento ou resfriamento significativo é o atual período  que começou no século 20. É o que revela a pesquisa de Nathan Steiger, cientista  do Lamont. – Doherty Earth Observatory da Columbia University.

‘Caráter extraordinário da atual mudança climática’

Um dos estudos também descobriu que as taxas de aquecimento durante a segunda metade do século 20 foram as mais rápidas do período de 2.000 anos. “Observamos a taxa de aquecimento. A velocidade de aquecimento. E o resfriamento  nos últimos 2.000 anos. Descobrimos que o aquecimento mais drástico ocorreu durante a segunda metade do século XX. Isso destaca o caráter extraordinário da atual mudança climática”. Foi o que disse o coautor e paleolimmonologista Raphael Neukom, da Universidade de Berna. Falta agora, avisar aos Trumps e Bolsonaros da vida. Ambos ameaçam o Acordo de Paris.

Imagem de abertura: NASA

Fontes: https://www.abc.net.au/news/2019-07-25/climate-change-nothing-like-this-over-past-2000-years-scientists/11345022; https://www.smithsonianmag.com/science-nature/modern-climate-change-only-worldwide-warming-event-past-2000-years-180972719/.

Assaltos a barcos no Brasil viralizam no litoral

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

12 COMENTÁRIOS

  1. Nas condições padrão de temperatura e pressão, conforme IUPAC (0 °C e 100 kPa), o AR SECO tem uma densidade de 1,2754 kg/m3 e o CO2 a densidade é de 1,98 kg/m3. Como se forma uma estufa se o CO2 tende a vir pro chão e ser absorvido pelas árvores e principalmente pelo mar.

  2. Nenhum cientista usa o termo “aquecimento global” só os ativistas. Cientistas sérios usam sempre o termo “mudanças climáticas”. O aquecimento global era um teoria e o próprio cientista que a propôs, o médico e ambientalista James Lovelock, voltou atrás. Segundo ele, suas próprias projeções foram alarmistas.

  3. “Evidências de climas antigos” só essa frase desmascara todo palhaçada, pois na fundamentação científica não se trabalha com evidências mas com estatísticas. E não existe essa terminologia de climas “antigos” e climas “novos”! Falta de seriedade nessas reportagens! Se os eventos foram regionais (aff) vão ter q ” ensinar” isso pra todas as universidades de geologia.

  4. Colocar nessa reportagem como “Fonte” outros sites de notícias isso não é fonte! Colocar o link do artigo científico!! Se vc ler de fato um artigo científico vc vai ver como esses sites manipulam as informações e vão construindo suas “verdades científicas ” tudo para arrecadar fundos,!

  5. Comparar 2 mil anos em relação ao tempo da Terra é como comparar uma escala 2 mm com 40 mil metros. Nem os professores da USP nesse tipo de jornalismo sem fundamento científico

  6. Que conversa fiada e no final aproveitaram para dar uma alfinetada no Bolsonaro e no Trump. A esquerda e aqueles que estão recebendo para propagar bobagens sobre aquecimento global já encheram o saco de todos. Chega.

  7. Se comparando a nossa poluição, com o que foi expelido por um único dia pelo vulcão…
    O vulcão lança na atmosfera uma poluição de milênios da nossa atividade. *Ao mesmo tempo, o clima limpa a atmosfera em meses. *Diminui em 1° a temperatura da terra.
    O Estados unidos não tem mais furacão, em consequência do desmatado.
    Alemanha desmatou tudo! Utilizam Termoelétricas, abastecidas com o carvão mais poluidor do mundo.
    Respeito a natureza sim, com limites. Não confundir “poluição” x “CO2” x “aquecimento global”.
    É necessário conversar, esclarecer mais sobre o assunto.

  8. Tá. Eles calcularam com precisão a temperatura em todas as regiões do globo na maior parte dos últimos 2000 anos com base em “anéis de árvores e recifes de coral”. Bom exemplo de como manipular a “ciência” para fins políticos.

  9. Eu já estou no outono de minha vida e jamais fiz deliberadamente ações que comprometessem a vida, alias sem que sequer soubesse nada de conservacionismos, por educação recebida dos país e avós creio que fui mais zeloso que muitos, portanto, hoje não me sinto nada responsável pelo que em breve acontecerá ao planeta e gostaria muito que acontecesse enquanto eu estivesse vivo para exclamar EU ESTAVA LÁ. Para quem seria a exclamação pouco importa mas adoraria ver os descendentes dos trastes que ocupam/ocuparam os desgovernos morrerem e terem de suportar horrores insuportáveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here