Mata Atlântica, Ricardo Salles recua mas ameaça persiste

5
1621
views

Mata Atlântica, Ricardo Salles recua mas ameaça persiste

Depois da enorme polêmica criada pelo ministro do Meio Ambiente em 6 de abril, com um despacho que anistiava proprietários rurais por destruição da Mata Atlântica, Ricardo Salles recua mas a ameaça persiste. Foi mais uma derrota da marionete de Jair Bolsonaro e sua política ambiental descalibrada. A Mata Atlântica, bioma mais ameaçado no País, chamou a atenção do público que reagiu à altura (post de opinião).

imagem de Ricardo Salles
Ele está conseguindo transformar o Brasil em pária internacional. Imagem, Nacho Doce/Reuters.

Mata Atlântica, Ricardo Salles revoga ato de anistia a desmatadores

Menos de um mês depois do ato e da guerra de anúncios entre ONGs e entidades ruralistas, a destruição da legislação ambiental brasileira, e consequente aumento do desmatamento, ganhou as manchetes mundiais outra vez. E prejudicou mais ainda a arranhada imagem externa do Brasil como se verá abaixo. A pressão obrigou Ricardo Salles a retroceder.

Véspera do dia mundial do meio ambiente, a boa nova

Em 4 de junho, véspera do dia mundial do meio ambiente, a mídia destacou o recuo.

G1: “Ricardo Salles revoga ato que permitia cancelar infrações ambientais e regularizar invasões na Mata Atlântica.”

Folha de S. Paulo: “É o caso de revogar’, diz Salles sobre despacho que regularizava invasões na mata atlântica.”

E no dia do meio ambiente, 5 de junho, O Estado de S. Paulo publicou o editorial, “Manchando o Brasil e o agronegócio.”

A ameaça à Mata Atlântica persiste

A revogação foi publicada no Diário Oficial da União mas, como informa a Folha a quem Salles deu entrevista,”o ministro disse que invalidou o despacho e que o governo decidiu ingressar com uma ADC (Ação Direta de Constitucionalidade) no STF (Supremo Tribunal Federal), tentando assim evitar questionamentos jurídicos.”

Depois do barulho, e do Ministério Público Federal ter solicitado a anulação da medida, Salles passou a batata quente para o Supremo Tribunal Federal. Portanto, temos que aguardar.

Desatinos ambientais no Brasil geram retaliações no exterior

Com um ano e meio de mandato, Jair Bolsonaro conseguiu unir os inimigos do agronegócio mundo afora. Na primeira semana de maio duas notícias, uma da Europa, outra dos Estados Unidos, demonstram a escalada das ameaças aos produtores rurais brasileiros.

Em 4 de junho o G1 abriu a manchete: “Comitê da Câmara do EUA diz que se opõe a qualquer acordo comercial com o Brasil.”

E a Deutsche Welle publicou, “Parlamento da Holanda rejeita acordo UE- Mercosul.”

O editorial do Estadão explicou: “Especialista em manchar a imagem do Brasil, o governo Bolsonaro acaba de marcar mais um gol contra o País. O protecionismo europeu, especialmente forte no setor agrícola, teve o ponto contado a seu favor. O Parlamento holandês aprovou moção contra o acordo comercial entre União Europeia e Mercosul.”

O Mar Sem Fim relembra que o acordo UE-Mercosul levou nada menos que 20 anos para ser negociado. Mas um ano e meio de Bolsonaro et caterva foram suficientes para colocá-lo em xeque.

Editorial do Estadão: “O Parlamento austríaco já havia votado contra o acordo. Se nada mudar, o governo da Áustria terá de se opor à ratificação. O governo holandês ainda está livre para votar a favor, mas o acúmulo de pressões contrárias, em toda a Europa, é inegável. A questão ambiental é parte dos desentendimentos entre os presidentes francês e brasileiro. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, evitou, até agora, comprometer-se com a aprovação final do acordo.”

“Comitê da Câmara dos EUA se opõe a acordo comercial com Brasil”

No mesmo dia deste editorial, a seção de Economia do jornal publicou a matéria, “Comitê da Câmara dos EUA se opõe a acordo comercial com Brasil.” Marcelo Godoy, o autor, explicou: “Em uma ação inédita contra o Brasil, que barra qualquer pretensão de se ampliar acordos comerciais com os EUA, 24 deputados democratas da Comissão de Orçamento e Tributos (Ways and Means) da Câmara dos Deputados dos EUA informaram na quarta-feira ao escritório comercial da Casa Branca que “têm fortes objeções à busca de qualquer acordo comercial ou à expansão de parcerias comerciais com o Brasil do presidente Jair Bolsonaro”

E qual a razão desta decisão?

Marcelo Godoy contou que a reação americana aconteceu depois de uma conversa com o chanceler Ernesto Araújo ‘que desejava intensificar a parceria econômica com o Brasil’. O deputado Richard Neal declarou:

Em resposta, nós julgamos importante enumerar a litania de razões pelas quais consideramos inapropriado que a administração abra discussões sobre parcerias econômicas de qualquer tipo com o líder brasileiro que desrespeita o estado de direito e ativamente desmantela árduas conquistas de direitos civis, humanos, ambientais e trabalhistas.

Para Rubens Ricupero, ex-embaixador em Washington ouvido pelo jornal,  a atitude “enterra qualquer possibilidade de acordo enquanto a Câmara tiver maioria da oposição ao republicano Donald Trump. “Nunca vi um documento assim. Ela é a mais importante comissão do Congresso americano.Essa carta significa que nenhum acordo com o Brasil será feito enquanto a Câmara tiver maioria democrata.”

E daí, Jair Bolsonaro?

Imagem de abertura: Nacho Doce/Reuters

Fontes: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,comite-da-camara-dos-eua-se-opoe-a-acordo-comercial-com-brasil,70003325232; https://opiniao.estadao.com.br/noticias/notas-e-informacoes,manchando-o-brasil-e-o-agronegocio,70003325242; https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/06/04/comite-da-camara-dos-eua-diz-que-se-opoe-a-qualquer-acordo-comercial-com-brasil.ghtml?fbclid=IwAR2sKRbXGjfKzn4UD3LBQZxUwnN27wBOR6I2GVVojfnlX1MfWacT9kKxah0; https://www.dw.com/pt-br/parlamento-da-holanda-rejeita-acordo-ue-mercosul/a-53689521?fbclid=IwAR35vK_fbkKJ4uSmnr4oJ6dFduDkdDh1zcDSh-wBcZbQqzmDGk2Rasiy2U4; https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2020/06/e-o-caso-de-revogar-diz-salles-sobre-despacho-que-regularizava-invasoes-na-mata-atlantica.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=compfb&fbclid=IwAR1ZecZWJRex7EgpBtGiVJZI2hJUOJxX6rCp6NBCWL0smJT7prkPXJoOp_I; https://g1.globo.com/natureza/noticia/2020/06/04/ricardo-salles-revoga-ato-que-permitia-cancelar-infracoes-ambientais-e-regularizar-invasoes-na-mata-atlantica.ghtml?fbclid=IwAR3c9yOdMMZ46gIjurTouPoxpVLWq5s0xQPRi13JDmR-N0QoMBEBESQv05M.

Covid-19 e poluição: diminuiu no ar, aumentou no mar

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

5 COMENTÁRIOS

  1. Não adianta reclamar agora. Essa é a escolha que fizemos, como povo, em 2018. Diga-se o que quiser de Bolsonaro, mas ele é, talvez, o presidente que mais cumpriu suas promessas de campanha, e mais fiel tem sido aos ideais que defendeu a vida inteira. O ataque contínuo às instituições democráticas, num escalada autoritária e fascista; a destruição do meio-ambiente para atender a uma concepção retrógrada de “progresso”; a substituição de uma ideologia “progressista”, com forte viés socialista e laicista, por outra “reacionária”, com viés conservador e religioso, nos meios educacional, acadêmico e cultural; a contenção e, se possivel, reversão de avanços nos direitos sociais de minorias (indígenas, homossexuais) e de maiorias oprimidas (mulheres, negros); a defesa do “direito” das pessoas se armarem o quanto quiserem, a pretexto de autodefesa, mas também para formar milícias e confrontar opositores políticos. Tudo isso foi defendido desde sempre por Bolsonaro, sua gangue, e seus agregados ― vários grandes empresários, pastores evangélicos, oficiais militares, odiadores de petistas, influenciadores digitais, lavajatistas, olavistas, e todos os que se deixaram liderar e influenciar por eles. A maioria dos eleitores resolveu dar uma chance a essa visão de mundo, a esse projeto de poder. Estamos tendo exatamente aquilo que quisemos.

  2. Como pode um elemento desde ser Ministro do Meio Ambiente ????
    Alias o governo Bolsonaro sempre teve a primazia de ser anti-ecológico e o tal do ministro segue o protocolo de puxa saco
    E a declaração dele de ” Aproveitar o momento da Pandemia e PASSAR A BOIADA ” mostra o monstro que esconde atras deste Ministro , com a sua de falta de respeito com as famílias que perderam seus enter queridos .

  3. Esse ministro é malandro e mau carater. Prova é a sua participação na celebre reunião em que o presidente desta infeliz Nação mostrou toda sua educação e mau carater, tambe´m…

  4. Esse ministro ignorante e mau caráter quer acabar com as matas e toda a alta floresta do Brasil.
    Como pode tamanho ser do mau continuar nesse cargo e fazendo tanta porcaria?

  5. PARA ESSES AMERICANOS,O GOVERNO DO BRASIL TEM QUE AGIR IGUAL AQUELE CHAMADO POR UM EX PRESIDENTE AMERICANO DE (ESSE É O CARA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here