Mares vazios, alerta este filme, todos devem ve-lo

4
1003
views

Mares vazios, alerta o impressionante documentário

O documentário é impressionante e repete, mais uma vez, um alerta já batido no meio acadêmico: se a pesca industrial continuar na mesma toada, assim como a poluição que os 7.4 bilhões de “terráqueos” produzem, em pouco tempo nossos mares serão um enorme cemitério.Serão mares vazios.

Tecnologia aplica à pesca: desastre total e mares vazios

Alguns dos destaques: o professor Dr D. Pauly explica as conseqüências da tecnologia aplicada à pesca, como os sonares:

depois dos sonares os peixes não tem mais onde se esconder.

Mares vazios, alguns destaques

Os dados falam por si: de 1950 para cá a quantidade pescada anualmente quadruplicou. Hoje são 100 milhões de toneladas tiradas dos mares todos os anos.

mares vazios, imagem antiga de pescador com peixe na fisga
Antigamente ainda havia peixes grandes…

Selos ‘sustentáveis’ para a pesca???

O filme usa a ironia para contar que várias companhias pesqueiras conseguem “selos sustentáveis” para suas atividades.
Dr. Pauly relembra que entre 10 a 15% das áreas continentais mundiais estão protegidas, mas menos de 1% do espaço marítimo recebe o mesmo tratamento.
Não me canso de repetir estes dados nas palestras, ou artigos que escrevo…

Acordos internacionais não cumpridos

O cientista explica que existem acordos em fóruns internacionais, como a ONU, onde os países se comprometeram a criar novas reservas marinhas excluindo a pesca, única forma de amenizar o problema.
Pauly diz que os Ministros de Meio Ambiente (entre os quais o do Brasil na época) concordaram com a meta de reservar 20% de seus mares territoriais para reservas ou parques. O objetivo inicial era 10% até 2010, e 20% até 2020.
Poucos cumpriram.

Os malefícios do espinhel: 22 milhões de Kms de  linhas nos oceanos!

O filme prossegue com dados acachapantes. Outra modalidade de pesca danosa é o espinhel, que consiste numa enorme linha jogada nágua com dezenas, centenas, às vezes, milhares de anzóis. Calcula-se que hoje nossos mares tenham algo como 22 milhões de quilômetros de linhas de espinhel, com milhares de anzóis que também não são seletivos. Eles fisgam de garoupas a tartarugas. Golfinhos, tubarões, e até mesmo aves marinhas.

mares vazios, imagens de peixes coloridos num recife
Hoje são cada vez mais raros e menores

40% do que é pescado é descartado, alguém duvida dos mares vazios?

Quer mais um dado? De acordo com o filme 40% de tudo que é pescado no mundo é descartado. É o que os especialistas chamam de “fauna acompanhante”, espécies não visadas que são jogadas ao mar, mortas.

Peixes e remédios mais um perigo

O filme menciona os “remédios” cuja matéria prima são peixes. Cita as cápsulas de óleo de peixe vendidas em farmácias mundo afora lembrando que peixes tem pouco óleo, menos de 3% de seu peso. E pergunta quantos são necessários para que se fabrique um litro de óleo…

Alerta de um membro do parlamento holandês

Vale a pena assistir e refletir sobre o alerta feito por Marianne Thieme, membro do parlamento holandês:

sem as pessoas os mares não teriam problemas.As escolhas que faremos agora vão determinar nosso futuro e o de nossos mares.

mares vazios
Imensos navios fábricas processam o pescado ainda a bordo

Todos os cientistas entrevistados aboliram o peixe de suas dietas.

E, você, o que vai fazer sobre isto, permitir mares vazios?
Assista o vídeo.

Saiba mais sobre os problemas do oceanos.

Repórteres do Mar

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários Comentários do Facebook

4 COMENTÁRIOS

  1. Vamos ser vítimas de nossa própria ignorância, e não adianta falar na esquina, no supermercado. Ninguém entende a importância da preservação dos ecossistemas!
    E só quando chegarmos a beira do abismo vislumbrando a tragédia vamos tomar um susto, talvez seja tarde! O que o cidadão comum pode fazer? Aqueles com consciência, cidadãos comuns se sentem impotentes.

    • Olá, Artur, bem- vindo a bordo do mar sem fim! O cidadão comum pode fazer muito. Compartilhar! Conversar com parentes e amigos, filiar-se a alguma ONG séria, sim, são poucas mas existem. E pressionar o poder público. Precisamos mais áreas marinhas protegidas. No Brasil apenas 1,5% do mar e zona costeira recebem esta proteção, apesar do país ser signatário do protocolo de Kyoto desde 1997. Ele propõe que cada país costeiro separe até 10% de sua zona costeira e mar territorial em áreas protegidas. Diversos países fizeram sua lição de casa, menos o nosso. Leia isso (http://marsemfim.com.br/oceanos/areas-protegidas/), veja quais países fizeram suas partes, e ajude a pressionar nossos mandatários. Só agora, com Zéquniha Sarney à frente do MMA começamos a avançar ainda que muito devagar. Precisamos muito mais! Abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here