Novo derrame da Petrobras no Sul

0
161
views

Novo derrame da Petrobras no Sul

Esta semana nosso litoral foi mais uma vez contemplado com derrame da Petrobras pela inabilidade da empresa. Deste vez a causa foi o rompimento de um duto, conectado a uma monoboia, na altura de Imbé e Tramandaí, litoral Norte do Rio Grande do Sul.

O fator que desencadeou o acidente teria sido uma tempestade na noite do dia 6 de abril,  que teria provocado o rompimento do duto da monoboia, espécie de terminal flutuante, usado em todo o Sul do país, para transportar petróleo de navios para as refinarias em terra.

De acordo com a Petrbras

o terminal do Rio Grande do Sul atende à Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) e à petroquímica Braskem pelo oleoduto Osório-Canoas.

Sobre o funcionamento da monoboia diz a empresa

Cada estrutura é ancorada no fundo do mar por correntes especiais e conectadas por tubos flexíveis  a um conjunto submarino de válvulas. Essas válvulas são ligadas ao terminal por dutos submarinos.

Novo derrame da Petrobras, imagem de vazamento de petróleo em Tramandai
Foto: Francisco Soares, Polícia Civil

Proporções do derrame da Petrobras no Sul

Na quinta- feira, dia 7 abril, a Polícia Civil sobrevoou o local num helicóptero, informando que a mancha, localizada entre Imbé e Tramandaí, tem o tamanho de 10 quilômetros de diâmetro. Até este momento continuava o vazamento apesar de técnicos da empresa estarem trabalhando para estanca-lo.

Prefeitura de Imbé e o vazamento

O prefeito de Imbé, Pierre Emerim, em entrevista para a rádio Gaúcha disse ser este ‘o maior acidente ambiental’ registrado no local. A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), equivalente a secretaria de meio ambiente do estado, enviou dois técnicos para verificarem a extensão dos danos. Até agora não se sabe exatamente a quantidade de petróleo derramado.

Novo derrame da Petrobras, vazamento-de petróleo em tramandaí
Foto: Polícia Civil

Não é a primeira vez da Petrobras em Tramandaí

Ainda em 26 de janeiro aconteceu outro acidente, no litoral de Tramandaí, causado pelo mesmo motivo: rompimento de dutos em monoboias. Na ocasião foram despejados 33 mil litros de petróleo. A Petrobras foi multada em R$ 2,9 milhões de reais pelo acidente. Pelo visto não adiantou muito.

Petrobras assegura que monoboias são seguras

Apesar dos dois acidentes recentes, o site da Petrobras informa que as monoboias usadas no Sul estão sendo trocadas, e que

os terminais aquaviários responsáveis pelo suprimento das nossas refinarias que abastecem a região sul do país estão ganhando ainda mais eficiência e confiabilidade nas operações. Novas e modernas monoboias, já em funcionamento no terminal de São Francisco do Sul (SC) e em instalação no de Osório (RS), passam a garantir maior precisão no controle das operações de transferência de petróleo e derivados e ainda auxiliam na prevenção de acidentes

Novo derrame da Petrobras no Sul, imagem de monoboia de petróleo
Um das novas monoboias do Sul do país (Foto: Petrobras)

Ei, Petrobras, que tal acordar?

Maior precisão no controle das operações de transferência? Ei, Petrobras, acorda!

Este tipo de operação, de navio para navio, ou de navio para monoboias, é sempre arriscado e preocupante. Não deveriam ser permitidos no Brasil. Já denunciamos casos de transferência ship-to-ship que acontecem dentro de áreas protegidas, como a Baía de Ilha Grande. Qualquer dia destes teremos um grande desastre na região. É questão de tempo.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here