Cães nas praias, o que você acha disso?

5
315
views

Cães nas praias?  Texto do Repórter do Mar Irineu Nalin

Se não bastasse ser uma questão de saúde pública, cães nas praias é também falta de respeito com o semelhante. Tanto quanto, ou pior  que transformá-lo em fumante passivo. São agressões que representam total falta de educação. Essa questão de cães na praia se repete e se agrava mais na temporada. E nunca é demais repetir o texto que elaborei em 2008 como forma de chamar atenção de frequentadores e autoridades.

cães nas praias, imagens de cães em praias

Cães nas praias, falta de respeito

Além dessa falta de respeito o mais absurdo é que pagamos altos impostos ao município e a Prefeitura de São Sebastião sempre protelou a questão alegando a inexistência de um Centro de Controle de Zoonoses. O centro acabou sendo construído na última gestão. Mas é só andar pelas praias da cidade para verificar o problema, que se resume na ausência de fiscalização e aplicação da Legislação existente. Indicador do processo de degradação, dos riscos à saúde, com reflexos até na desvalorização imobiliária.

Cães nas praias e doenças

O hábito das pessoas andarem na praia sem calçado torna-as vulneráveis. A decomposição das fezes caninas além do cheiro desagradável favorece o desenvolvimento de parasitas intestinais e da larva migrans, conhecido como bicho geográfico. isso constitui-se um grave risco à saúde pública. Principalmente às criancinhas que adoram brincar na areia.

Cães nas praias: a fiscalização e educação ambiental

Na praia de Guaecá a comunidade financia campanhas, com enormes faixas, além da distribuição de folhetos, que não funciona, pois se trata de um problema que só se resolverá através de ações conjuntas:  educação ambiental e fiscalização. Aplicando as multas previstas e apreendendo os animais, alguns perigosos que avançam nas pessoas, outros doentes. Providência que deveria começar já visando à temporada que se aproxima.

Os donos de cães

Por outro lado, existem proprietários com o hábito de trazer junto o cão para sua casa de veraneio. Mas perdem o controle sobre os mesmos. Outros imaginam que manter esses animais na propriedade aumenta a segurança. Mas não orientam seus caseiros os cuidados que devem ser tomados para não deixar o animal solto infectando o meio ambiente e perturbando a vizinhança que vêm em busca de repouso. E há aqueles que fazem com sentido provocativo meramente para mostrar poder. São infelizes que não sabem usufruir e preservar essa exuberante natureza e certamente não a merecem.

Orkut deu sinal contra cães nas praias

Essa situação de cães e da irresponsabilidade de seus proprietários é tão grave que no Orkut existem inúmeras páginas tipo “cão na praia não”. Recentemente a Rede Globo veiculou extensa matéria sobre o assunto nas praias do Rio de Janeiro. Em Vitória e Vila Velha, ampla reportagem publicada na Gazeta, mostrou que análises efetuadas com a areia indicam sua contaminação com sérios riscos aos seus usuários. Em Nova York a situação ficou tão grave que levou com que uma adolescente sugerisse que a Prefeitura ao expedir a licença fizesse constar o DNA. A ideia era  que funcionários da limpeza pudessem ao fazer a coleta enviar amostras ao Laboratório para análise. O infrator receberia a multa pelo Correio.

Quem é pior: cães ou seus proprietários?

Se não bastassem esses riscos, temos a tristeza de depararmos com outras feras piores que os infelizes animais: seus proprietários. Ao ser chamado a atenção, muitos  agem de forma irracional, agressiva e com a mais absoluta prepotência como se estivessem na plenitude de seu direito.

Para esses deveria haver uma pena para cada infração cometida pelo seu animal. Além das multas previstas em Lei: fazer um extenso curso de reeducação e cumprir tarefas semanais de limpeza e higienização.

1 Recentemente tivemos o caso de um proprietário que foi atacado por um cão. Além da grave mordida sofrida teve dificuldades para que as autoridades viessem recolher o animal. Ele  perdeu muito tempo nessa burocracia que exigiu um atestado médico do Posto de Saúde em que foi atendido no curativo e vacinação contra a raiva.

Doenças encontradas

2 Foram encontrados: Ancylostoma, parasita conhecido como “bicho geográfico”, cujas larvas podem ficar migrando na pele da pessoa infectada e causar coceira, insônia e até diarréia se forem ingeridas; o parasita Strongyloides stercoralis, entrando na pele do homem, ele pode causar crises de diarréia alternadas com constipação intestinal e outros problemas, como explica a médica Daniela Isoton, professora de parasitologia e membro do Complexo de Bio-práticas. Fonte: A Gazeta, reportagem de: Elisangela Bello.

Seja você também um repórter do mar. Saiba como.

COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Fui a Natal de férias e fiquei pasma: existem línguas negras por toda a praia dessa bela cidade. Como assim, Natal não vive do turismo? Pois é, eu não acreditei naquilo, uma cidade turística com línguas negras fétidas e ostensivamente expostas!

    Outra coisa, em João Pessoa (e no litoral paraibano) vi o órgão local dizer mais uma vez que havia algumas praias impróprias para o banho. Gente, a tal Sudema (que é o de “defesa” do meio ambiente) só existe para atestar que as praias são impróprias para o banho?? Em tempo: vou lá sempre, e sempre ouço isso, eles anunciarem e nada fazerem, há anos.

    Em que estado de civilização chegamos?!

    • Mais uma vez, Ana, concordo com você; esta é nossa triste realidade. Só mudaremos isso com enorme mobilização nacional. Eu, por aqui na minha trincheira, não faço outra coisa: procuro engajar mais pessoas. A sua resposta ao ‘chamamento’ é uma prova que estou no caminho certo. É preciso perseverar. De grão em grão a galinha enche o bico. Ou não?
      Abraços

  2. Por que os cães não podem ir nas praias? O texto fala como se o problema fossem dos cães que tem dono, mas dos milhares abandonados não fala. O animal faz parte do ecossistema, seja ele qual for. Pior são os homens que além da imundice que ocasionam nas praias e no meio ambiente em geral, ainda permitem que empresas como a Sabesp coloque o esgoto sob as areias das praias. Façam uma pesquisa e ficarão boquiabertos na quantidade de praias do litoral de São Paulo que tem as coletora sob as areias que as pessoas deitam para tomar um sol. Ou seja, deitam em cima do esgoto. Estou postando esse video que mostra isso em Itanhaém, mas fizeram a mesma merda em todo litoral de São Paulo. https://www.youtube.com/watch?v=z8eEESLfHK4

    • Oi, Alcione, como vai, tudo em ordem? Primeiro quero lembrar que esta matéria é de um colaborador do site, portanto, é uma opinião dele. Quanto à mim, que tenho cachorros, sim, são dois, acho que as pessoas deviam evitar leva-los em praias. Imagine a quantidade se todo dono de um cachorro resolvesse leva-lo na praia. Seriam centenas, fazendo cocô, mijando, etc. Sobre o saneamento nas praias, agradeço pelo vídeo. Vou ver e depois mostra-lo ao pessoal da Sabesp com quem tenho contato. Está marcado uma entrevistas que farei com o presidente da Sabesp para depois do carnaval. O tema é este mesmo: como anda o saneamento do litoral paulista. Já fiz uma mostrando como está a situação da baixada santista. Gostaria de ouvir sua opinião sobre ela. Procure no site a matéria “Litoral de São Paulo e saneamento básico”. Se for o caso incluirei este seu vídeo na matéria. Quando eu a fiz, dias atrás, não sabia disso que vc me fala. Bom, fico aguardando seus comentários. Grande abraço e até breve.

      • Oi João

        Eu percebi que a matéria não era sua. Acredito que a maioria das pessoas não levam seus animais justamente pelo motivo que vc falou e tb pq levá-los implicaria em ter de tomar conta deles e perder parte do tempo que poderia ser aproveitado com o lazer. E tb muitas pessoas proprietárias dos cães, realmente não querem os animais nas praias. Eu tenho sete cães e não os levo pq tenho medo que eles se contaminem com a sujeira deixada pelos veranistas mal educados e tb por conta do esgoto na praia. Quem mora no litoral sabe que em época de férias e feriados prolongados não se deve ir nas praias por conta da poluição. Li a matéria sobre o saneamento do litoral e acredito que muito se tem a fazer para se conseguir o objetivo, mas desde o Onda Limpa não acredito na Sabesp. Ficou muito claro que não se preocuparam em resolver o problema do esgoto de forma séria e efetiva. A tubulação de coleta continua nas praias e o que a Sabesp fez foi retirar os PVs (que pareciam uns monstrengos), o que complicou seriamente o acesso a tubulação, pois dificultou a verificação dos vazamentos na rede. Infelizmente, na época do ocorrido, o prefeito de Itanhaém não tomou conhecimento e não embargou a obra da Sabesp deixando que ela instalasse a coletora nas areias. Então, não consigo enxergar nada positivo com a Sabesp sendo do governo e sendo gerida por políticos e ainda com a participação dos políticos municipais. E posso afirmar categoricamente que não foi por falta da população avisar, se mobilizar, questionar e exigir que tudo fosse retirado e feito corretamente. Perdemos. Todos perdemos. Marquei vc num álbum meu que tem fotos e matérias do ocorrido. bjus

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here