Viagem à Antártica, o Canal Lemaire

4
524
views

Viagem à Antártica, o Canal Lemaire, verão 2010/2011

Viagem à Antártica, o Canal Lemaire: este é um pequeno trecho de um dos cinco documentários que fizemos para a TV Bandeirantes.

Viagem à Antártica, o Canal Lemaire

O canal Lemaire, que tem cerca de 600 metros na parte mais estreita. Nas suas margens imensas montanhas disputam espaço, algumas com altura de mais de dois mil metros. Elas sobem verticalmente, como prédios de granito, a partir do nível do mar. É estonteante navegar ao lado delas. Dá medo.

A neve acumulada nos picos e encostas forma imensas geleiras que despencam para o mar. Enquanto isto, no estreito, alguns icebergs velejam ao sabor dos ventos. Outros, encalhados, de perigo à navegação passam a ser a principal atração.

A gente fica sem saber para qual lado olhar

A oferta de situações, paisagens, e sensações inusitadas, é gigantesca para um espaço nem tão grande assim: o Gerlache tem 90 milhas. O Lemaire não passa de sete.

Viagem à Antártica, o Canal Lemaire, imagem do canal lemaire, antártica
Atravessando o Lemaire

O fascínio que a Antártica desperta nos navegadores

Quanto mais a navegação avança para o Sul, mais extraordinários ficam os cenários. É arrebatador. Foi preciso chegar até aqui para entender o fascínio que a Antártica desperta nos navegadores polares. Quando eu achava que nada mais poderia me surpreender, nova cadeia de montanhas com contornos dramáticos (tudo é superlativo), ou icebergs espalhados, com cores vibrantes e formas incomuns, tiravam o nosso fôlego.

Viagem à Antártica, o Canal Lemaire, imagem de túnel em iceberg

O colorido

O colorido em dias de sol é outro atrativo. As tonalidades são especiais. Eu nunca tinha visto luz parecida. O ar é limpo, a poluição é próxima do zero, a vista alcança distâncias inimagináveis. Perde-se a referência pela falta de costume de enxergar tão longe e com tamanha claridade. No verão, nestas latitudes, não há mais noite. São 24 horas de ótima visibilidade em dias de céu aberto. O sol bate forte quase até às 23 horas. Depois ele some, ameniza, mas não chega a ficar escuro.

Assista nossa chegada na Baía Dorian

COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. J. L. Mesquita,
    Parabéns pelo site e pelo programa na Cultura.
    Escrevo este comentário após ler sobre a APA Caipuru, Paraty.
    Vc tem mostrado belas paisagens e tbem a incapacidade do estado em preservar nossa “Shore e off Shore”. É de chorar!
    Pior ainda é a ganância dos afortunados em se apossar das propriedades caiçaras. Triste nação. Tá difícil manter a esperança. Mas, por favor, continue mostrando os descalabros. Obrigado! Angelo Elias Santos

  2. João, to começando um projeto barco pesquisa pequeno porte , aqui na região norte do país quero financiar essa embarcação vc pode da umas dicas por favor.

    • Oi,Carlos, desejo muito sucesso! É difícil dar dicas. Cada um se vira como pode. Eu, por exemplo, batalho muito para abrir espaço na TV. Depois que uma delas aceita ou seja, topa veicular meus documentários, corro pra iniciativa privada e, mais uma vez, inicio nova batalha pra conseguir patrocinadores. Às vezes chego a visitar 15 empresas para achar uma que tope patrocinar os programas. É desta forma que remunero meu trabalho e o de minha equipe. Não tem outra forma: busca incansável ppr patrocínio. Espero ter ajudado. Grande abraço e até a próxima.
      Qualquer dúvida estou a sua disposição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here